domingo, 30 de junho de 2013

"ideias e ideais do eu de mim em negritude..."



Foto: "O coração que está em paz vê uma festa em todas as aldeias." [Provérbio Hindu]
Irane Castro.

"O construto histórico fascina-me.
Vivo a catar informações, elencando leituras para justificar o passado em presente no agora de interrogações vivas pela cor da pele, pelo social, pelo capital, pela cultura, pela hereditariedade, pelo olhar  destorcido que se desenha   o viver e conviver em sociedade.
No monte da vez, o romance 'escravo da ilusão (Ana Cristina Vargas) que me desvenda um historiar  que explica 'a respeito de todas as transformações de um mesmo ser em várias formas de existência....,  de um lado, os nobres e ricos; do outro, os pobres e escravos; dois mundos  bárbaros unidos pela violência  e pela degradação moral'.
Percebida tal situação,  desde os confins africanos perpassando pelo tráfico negreiro,  sua decretação de extermínio em território americano (1850), as permanências e mudanças cerceiam o cotidiano e  o especular  de ser ainda  escravo (a) no caminhar de acontecimentos  bem contemporâneos.
Empolgação, deslumbre a cada página  com veracidades sentenciadas e  esclarecedoras pelo viés da espiritualidade, um fato novo pra mim, que interessantemente não  aceitava um divórcio d'leitura no instante. Tanto que, na  sexta-feira levei para a escola (ler no intervalo da formação  continuada) e incrivelmente senti na pele o repúdio e descaso  de alguns ao ver o  titulo do livro -  um romance espírita.  
Silenciei, calei, emudeci, estarreci,  choquei e respirei.  Mas, não esbravejei.
O momento de retrucar vai chegar. Pois, nada do nada e tudo do tudo  que dizem mancha o que  aprendi em   respostas às minhas dúvidas pessoais-espirituais-historiadas-intelectuais -etc.
Desde a infância, os livros-leituras-letras  proporcionam a construção de um mundinho infinitamente particular que enfeitei-reescrevi-recolorir  num  refúgio e espaço de fortalecimento das batalhas cotidianas.
Estou-me no agora, ao remexer ideias e ideais em negritude, inserida no   jeitinho Irane de ser- maluquete e irreverente- de    beber  informações  sobre as  minhas  raízes históricas como  pés e mãos que construíram a terra brasilis.
Catando aqui e ali,   desabrocharei em sintonia com a liberdade de agir,  pensar e desfrutar a individualidade   do   eu de mim com preleções de ontens em hoje's de vontades de recomeçar a viver  cada dia, logo.
Irane Castro
São Luís _ Maranhão (Minha Ilha do Amor)
Domingo, 30-06-2013
 

"Caminho de caminhante ou vai, ou fica... Eu fui..."

"O eu de mim anda devagar o caminho de caminhante do caminho caminhado com o jeitinho Irane de ser - maluquete e irreverente - rescrevendo- reinventando- recolorindo o tudo e o nada das  marcas dos ontens em hoje de vontades de descobrir novas vontades, novos esperançar, novas lutas, novas permanências em mudanças do agora que carece de querer se jogar no baile da vida com vida e por vida num constante equilibrar essa dança do  ir,      ou vai, ou fica... Eu fui..."
Irane Castro
São Luís _ Maranhão (Minha Ilha do Amor)
Domingo, 30-06-2013
 
 

"Quando você deixa fluir, tudo se encaixa!"

Pretiando assim:
Foto
"Vou-me a cavoucar sonhos  aqui e acolá  pelo  caminho de caminhante do caminho caminhado de  lutas de ontens  em realidades de hoje's   com o jeitinho Irane de ser - maluquete e irreverente de esperançar o recomeçar  a cada instante. Pois, 'quando você deixa fluir, tudo se encaixa!' para   reescrever  novos finais para o tudo e o nada de cada dia."
Irane Castro
São Luís - Maranhão (Minha Ilha do Amor)
Domingo, 30-06-2013

"Quero-me desenferrujar sorrisos por aí...."

"Quero-me desenferrujar sorrisos por aí, colorindo os longos ontens em breves hoje's de paz no agora de ser feliz com o tudo e o nada  que o vento sopra a cada dia...."
Irane Castro
São Luís - Maranhão ( Minha Ilha do Amor)
Domingo, 30-06-2013

 

"....o São Marçal e as matracas"

Pretiando assim:

"...outra vez, não fui tomar benção para São Marçal  nem  aplaudir minha brincadeira preferida. Desde ontem, Dona Dor de cabeça e uma perna engessada deixa-me de castigo.
Mas, o eu de mim cativa no coração a alegria do meu povo negro deixando correr pelas veias o sangue-suor-dança-fé cultuadas em danças outrora das senzalas maranhenses. 
Ainda  hoje enfeitam as noitadas ao som de pandeirões, matracas (2 pedaços de madeiras, cultuação a lenda do pai Francisco e a dança do boi),  representada em festanças e estilos diversificados.
No agora 30 de junho, São Marçal  - o  padroeiro da  grande  festança, um dia que dura quase 48 horas de muitos som-diversão-homenagens diante da imagem enorme no Bairro do João Paulo  que fecha o comércio e abre para o desfile de várias brincadeiras.
De longe escuto os grupos que se reúnem para ir ao local das grandes fogueiras e festejos. Aqui do meu cantinho, controlando o querer e não poder acompanhar, resta-me aclamar o grande   amor por ti,  'Boi da  Maioba'   que  diz o tudo e o nada    de  muitos ontens  indagações como "se não existisse o sol. Como seria pra terra se aquecer?  Se não existisse o mar, como seria pra natureza  sobreviver? Se não existisse o luar, o mundo viveria na escuridão, mas como existe tudo isso meu povo, eu vou guarnecer meu batalhão de novo!! Ê boi rapaziada!!!! (Chagas) para entender outros hoje's  de alegria do meu mundinho infinitamente particular dando-me forças para esperançar  lindas manhas e manhãs do agora, pra já".
Irane Castro
São Luís - Maranhão
Domingo, 30-06-2013

" [...] sorriso no rosto e seguir o caminho de cada dia"

Pretiando assim:
"O eu de mim vai por aqui e ali a cultivar o sorriso no rosto, pronta a  seguir pelo caminho de caminhante do caminho caminhado as lições dos ontens em hoje's de alegrias colhidas do tudo e do nada de cada dia, imediatamente."
Irane Castro
São Luís do Maranhão
Domingo, 30-06-2013

"O significado da vida ....."

Foto: "O significado da vida é que algum dia ela acaba". (Kafka)
Irane Castro.
"O significado da vida é que algum dia ela acaba". (Kafka)
 Irane Castro.
Domingo, 30-06-2013

"E tudo passa valer a pena!"

Pretiando assim:
Foto
"O eu de mim  a equilibrar o tudo e o nada de  cada instante.
 E tudo passa valer a pena!"
Irane Castro
Domingo, 30-06-2013


"[....] hoje's com violência o nada perdura."

sábado, 29 de junho de 2013

"[....] encharcar-me de paz-amor"

"cavouquei-me silêncios [...]"

Pretiando assim:

Não há pequenas decisões. Cada escolha vai muito além de um momento e talvez até mesmo desta vida.


- Yehuda Berg


@[383185905039260:274:Pequenos Prazeres]
"Cavouquei-me  no eu de mim  silêncios como   palavras de ordem. Por aqui-ali e acolá aprendi a recolorir  o caminho de caminhante do caminho caminhado  de ontens em aprendizagens  reconquistando   um tudo e um nada em hoje's de paz dentro de mim, imediatamente."
 Irane castro
Sábado, 29-06-2013

"  

sexta-feira, 28 de junho de 2013

"{....} brasis em lutas por permanências em mudanças no agora"

Pretiando assim:
“Outra vez e quantas for necessário, o eu de mim  cansada da subjugação corruptível de ontens  em hoje's sem resposta,   jogo-me a  declamar os brasis em lutas por permanências em mudanças no agora, pra já.
Precinto um   golpear , de novo  jogar o peso  para  os ombros da gente  não condizente com 'tudo vai bem'.Igualmente  uma tentativa de empurrar  pra frente o prescrito, não avaliado no contexto e o apressamento de projetos  mascaradores  das problemáticas exauridas, de  diversificados pontinhos que somam  em  alaridos por cá,  a quase 1 mês. 
Penso  o  plesbicito como  um   desrespeitar a Constituição. Pois,  rasga os  reparos  validado, se torna  um xarope amargo para descer  goela abaixo. Ou  mesmo, mais uma  tentativa de curar  os espirros  de uma 'gripe'  - outrora  citada  pela excelentíssima presidenta -  a muito    infectou o 'monstro dos vinte'  que cospe dores  de  ausências do tudo e do nada,  clareada pelo reflexo de 10 anos de roubalheiras.
 Apreensiva estou-me  pelos rumos do descontrole de um  eco  repreendido por anos a fio, por uma soltura desembestada, pelo vandalismo desnecessário, pela  violência exacerbada e sem nexo por uns poucos, que massacram  em prejuízos financeiros o trabalhador e  fere a manifestação por melhorias e preservação do ser brasileiro.
Pior que o estrago é o remendo da politicagem que  através de oratórias  mediáticas  não dizem nada de nada diante do tudo de tudo vivido.
Por favor,  senhores (as) governantes do estado brasileiro,   escutem com atenção a conclamação do luto cotidiano de um  povo.  que tenta coibir  o propagar de algemas reais que podem voltar a escravizar   o  povo  a  novas forças ditatoriais."
Irane Castro
São Luís do Maranhão
Sexta-feira, 28-06-2013
 


 

"[....] choro de indignação, aqui e agora"

Pretiando assim:
"Agora o eu de mim  por cá a queimar de raiva diante das barbáries que se intensificam  de norte a sul em terra brasilis. A cada momento um pavor entorpece meu corpo diante de tamanhos absurdos como os acontecidos no hoje   em São José de Ribamar  - Maranhão , uma menina de7 anos encontrada morta dentro de um armário,  com a língua decepada e suspeitas de violência sexual; Em são Paulo  a mulher morta a marteladas pelo marido  e no instante uma  criança de 5 anos que levou um tiro devido o choro e pedido "não quero morrer" que incomodou o assaltante .
“PQP choro de indignação, de raiva, de medo por tamanhas injustiças e tantas outras coisitas que assombram  a população  e o esperar de qual a nova maldade humana de  cada dia.”
 Foto: "Cada vez mais e mais  esses atos de barbárie se intensificam em nossa sociedade. Vai entender ação de  matar uma criança devido o choro incomodar o assaltante. PQP choro de indignação, de raiva, de medo por tamanhas injustiças a cada dia."
Irane Castro.
Irane Castro.
Sexta- feira, 28-06-2013
 

"[....] maluquices para encar o ser normal de cada dia"

Pretiando assim:
Foto: "Raul Seixas palavras marcantes de um  ontem no hoje e sempre - parabéns!!"
Irane Castro.
"Agora  a Raul Seixas, felicitações por suas   palavras marcantes  que desenham no eu de mim  justificativas para  o tudo e  o    nada de maluquices que vou tecendo para encarar o ser normal de cada dia em   caminhos de caminhante do caminho caminhado   que aprendi a florir com o jeitinho Irane de ser - maluquete e irreverente  de reescrever novas ideias, novas lutas, novas formas de olhar, novas maneirices, novas cores,  novas invenções, novas permanências em mudanças no  meu historiar de   ontens em  hoje's e sempre - parabéns!!"
Irane Castro.
Sexta-feira, 28-06-2013



domingo, 23 de junho de 2013

"[....] para entender ontens em hoje's da espera de ser feliz"

Pretiando assim:
"Minha flor-amiga Keilly Danielle Castro Praseres, Keilinha do coração, apenas um carinho especial para quem sempre me diz palavras de incentivo para vencer cada manhã com alegria. Com os caminhos da vida se aprende a desenvolver compreensões para entender ontens em hoje's da espera de ser feliz entre  permanências em mudanças do tudo e do nada no agora ligados na tomada da fé - palavra de ordem para superação e crescimento individual - no jeitinho de sentir-acreditar no que te apazigua a alma. Muitos abraços, beijinhos pra ocê".
Irane Castro
— com Keilly Danielle Castro Praseres.
Sexta-Domingo (23-06-2013)

"Agora vou Machadiano por aqui...."

Pretiando assim:
"Livro cheiro bom. Palavreamento grandes descobertas de conhecimento."
Irane castro.

sábado, 22 de junho de 2013

'....as vezes golpe d'loucura cai bem."

Pretiando assim:

"...n"os meus ontens, o eu de mim  sentiu   um contexto  de peleja  por  permanências em mudanças  acontecida  em reinvindicações marcadas  pela incompreensão de uma maioria condicionada a alienação de ‘ arrumação total, vai bem obrigada’ em desacordo com  grupetos politizados  lutadores por hoje’s de melhorias do tudo e do nada da cada dia.
O tempo passou, ganhos democráticos se fizeram presente na historieta local. Mas, com ela uma roda viva  lapidada para enquadrar a população em masmorras de ignorância, onde os  governos anos e anos proliferaram a mesma musiquinha a favor de seus bolsos alimentando o pequeno- grande Monstro dos Vinte Tudo, açoitando o povo que não consegue diferenciar quem lhes bate com chicote-capitalista.
Triste momento ainda, que muitos ajudam a alimentar a criatura-governo que escraviza a grande maioria da população com ajudas sociais onde a falta de conhecimento  transforma-o em  animal de carga, com vendas nos olhos - direito apenas de obedecer e bater palma em comodidade de seus donos (representantes políticos).
No agora, a dimensão intelectualizada ainda  minorativamente levantou em vozes que repercutem  num coral de vozes de norte a sul (até mesmo de outrem fora do país) por respostas concretas de tantas promessas infundadas, cabíveis  para o apossamento dos bens públicos -  decoração  das farras faraônicas.
No espaço do somatório das excessivas dores da população, o rugir imenso em aclamação,  mesmo sem saber de um porque definido para uma solução desses males arraigados na pele de ser brasileiro.
Fico triste, pelos aproveitadores marginalizados que depredam o patrimônio público e descaracterizam o movimento reivindicatório. Mas, também é preciso uma olhar de questionamento para  esses homens-animais que foram alimentados pela desgraça social, produtos da ausência de regras, orientação e garantias de ser responsável pelo que cativas.
Professorando polemizo, crio ferramentas de conscientização, luto por algo que ainda acredito acontecer com novos finais, novas lutas, novas histórias, novos caminhos, novas opiniões, novas forças de querer recomeçar o início e o meio de alguma coisa positiva do existente em  terrinha brasilis.
Apartidária  eu vou. Pois, politica eu sou por escolher o caminho que se ajusta ao meu jeitinho Irane de ser – maluquete e irreverente que por aqui, ali e acolá que  as vezes um golpe d'loucura cai bem e  aprendi a sair  plantando flores, colhendo frutos, aromatizando com conhecimento o   espaço infinitamente particular  de olhar-experienciar o entorno de um mundo melhor, pra já."
Irane Castro
São Luís do Maranhão - Ilha do amor
Sábado, 22-06-2013



sexta-feira, 21 de junho de 2013

"[...] ontens em hoje's de ações marginalizadas sem sentido"

Pretiando assim:
"O texto ' abaixo  não é meu. Mas, diz: 'mudar o mundo... quem nunca? "O povo está nas ruas!" A celebração é quase geral, o Brasil quase todo em êxtase comemorando a vitória: Após acordar o gigante precisa escolher, porém, o que fazer primeiro: vestir as calças?... Calçar os sapatos? Escovar os dentes? Tirar as remelas? Fazer xixi? Escovar o cabelo? Aparar o bigode? Lavar o rosto? É uma decisão simples, não? Depende... se cada neurônio do gigante optar por uma das possibilidades ele enlouquece. O gigante, como qualquer ser humano, acaba agindo irracionalmente [...] (https://www.facebook.com/hashtag/ogiganteacordou). 
Copiei e repassando, pois o mesmo oferece um sentido para o dimensionar do  despertar do Gigante  ecoando seu  rugir de várias tonalidades, as dores diária do povo.
Ai, o  eu de mim é  a  favor desse grito rasgado,  faço minha parte para manifestar o meu querer do tudo e do nada de cidadã . Mas, as poucos também temerosa dessa rebeldia desnecessária e marginalizada de uns grupetos mal- intencionados e infiltrados dentre as vozes que pedem o fim de permeâncias em mudanças da vida de ser brasileiro, no agora."
Irane Castro.
Sexta-feira, 21-06-2013


quinta-feira, 20 de junho de 2013

"O monstro Vinte Tudo ficando descontrolado."

Pretiando assim:
"Os Governantes alimentaram o   monstro Vinte tudo. Ele cresceu, levantou de ontens de silêncios em hoje's de protestos de  permanências em  mudanças  aqui, ali e acolá.
Como afirma o blog do Chico Xavier e amigos 'os  atos de vandalismo, praticados por uma minoria, já estão passando dos limites. O que começou como um bonito movimento de exercício da democracia, está sendo manchado por uma violência absolutamente desnecessária, saques e destruição do nosso patrimônio público.'
Agora é sentido   fúria de alguns, aos poucos a  perda do   direcionamento devido as  badernas excessivas  que chamam o uso de  brava violência contra os incidentes provocados por uma minoria descontrolada-desconexa-descaracterizada-desmiolada-desinteressada em reinvindicações e  que tentam desvalorizar  as vozes   que  gritam por novos  recomeços do tudo e do nada  em terras brasilis.
 Urge  controlar a animalidade  de cada um, logo. Democratizar também é respeito, valorizar e manter a paz.
Irane Castro.
Quinta-feira, 19-06-2013

 

quarta-feira, 19 de junho de 2013

"... o povo se levantou pormedo, em hoje's!"

Pretiando assim:

"... ontem o povo consentiu, permitiu e até aplaudiu os que ai estão a representar a nação. 
Hoje o povo da minha 'Ilha do amor - São Luís do Maranhão'  também se levantou desse sonho transformado em pesadelo do agora, uma doença do tudo, por tudo e com tudo em confronto com o nada dos governantes em solidariedade a terra brasilis. 
Vejo que a massa em reivindicações por uma ‘revolução dos vinte centavos que agrega sintomas claro que muitos estão doentes pela falência dos órgãos públicos, de tamanhas injustiças, de sentir na pele a alta taxa e excessivos impostos, a lambança com as verbas públicas, os ganhos com as mazelas sociais, a imoralidade dos gastos com projetos faraônicos entre outras tantas coisitas.
Isso sim, precisa de CURA, solução, boa vontade, efeito positivo e tratamento urgentíssimo além de aprender a respeitar o outro - negros, índios, homossexuais, idosos, o cidadão comum que peleja a cada dia para manter-se vivo em segurança diante de tantas pragas e faz valer apena dizer que és brasileiro.

Irane Castro
Quarta-feira, 18-06-2013

domingo, 16 de junho de 2013

"[....]por ai costurando ontens em lindos hoje's"

Pretiando assim:
"Agora o eu de mim vai por ai costurando ontens em lindos hoje's do tudo e do nada que aparece no caminho de caminhante do caminho caminhado  dentro de mim a cada dia."
Irane Castro
Domingo, 16-06-2013

sábado, 15 de junho de 2013

'[.....] medidas ditatoriais, cala-te gente sem voz"

Pretiando assim:

"Isso acontece 'as margens plácidas....'  de um Brasil mascarado de "Alice, o país das maravilhas', em que as medidas ditatórias mais uma vez impera para calar o revolucionar  das vozes de súplica de  uma gente que vivencia  a perda do tudo sem justificativas reais  e ofuscadas pela propaganda massiva do 'tudo bem controlado pelo social, do jogar futebol é o melhor com uma reboladinha de bundas em terras brasilis.
Ai, o cala-te gente sem voz, quem não se enquadra nesse rótulo vai sofrendo na pele medidas inflacionarias, insegurança pública, doença da saúde pública,  educação sem educação, o massacre salarial  de educadores-mendigos, o esperançar da possiblidade de estar vivo até o final do dia  e muitas outras anomalias nacionais que só é percebido por aqueles que ainda sabem falar."
Irane Castro
Sábado, 15-06-2013
 

".... forças para engolir o medo do tudo e do nada"

Pretiando assim:


"O eu de mim  chorou   um ontem  que assombra em realidade sentida, maltratada, incompreendida de fatos que chocam o revolucionar  de um e muitos que se perdem em questionamentos, lutas atreladas em  hoje's vistas como  balburdias.
O povo     silenciou em anos-mil  verdades de um  agora em  urgências  de  manifestação para expor dores-perdas-medos-ausências – injustiças- excessos corruptíveis  engolidos a seco e  somente vomitadas no agora  pelas  ruas  de vários estados da terra brasilis além de um  propagar do   estardalhaço   de dirigentes políticos, empresários e entendidos  do assunto  querem apagar com violência o sentimento de uma nação amargurada.
 Saber ouvir é prioridade, pois um, dois, três é fácil calar, mas uma multidão nunca. Pois, vandalismo é a força engolir o medo do tudo, do nada e ainda querer  esperançar  a possibilidade de chegar  com vida - o   final de cada dia.
Atino que as mazelas ditatoriais retornaram com glamour para um  abaixo o pensar, um cala-te boca generalizado,  truculento e excessiva  exclusão de manifestantes que estão atrapalhando a rotina.
Karambolas,  de novo e de novo  um filminho sobre pessoas   que não precisam pensar, apenas colocar em pratica o sorriso, aplaudir, divertir jogando futebol e uma quebradinha de bunda para alegrar o brilho  da faixada do faz de conta e tudo maravilhoso  bordado par expor  a festança do povo do futebol para o mundo  e  esperando  saber quantas curtidas o evento recebeu  -  mais  visualizado na rede.
Irane Castro
Sábado, 15-06-2013
 

 

sexta-feira, 14 de junho de 2013

"....florejar um jeitinho da gente ser no agora"

Pretiando assim:
Por cá, atrelando  no  eu de mim lições do ontem    em hoje's  de vontades de recomeçar  a florejar o caminho de caminhante do caminho caminhado  que aprendi a adornar, reescrever, recontar, reelaborar  inicio e meio de historietas acrescentando o jeitinho Irane de ser – maluquete e irreverente em novos finais  diante do  tudo e do nada dentro de mim com  manhas e manhãs encaradas com jeitinho da gente ser no agora"
Irane Castro
São Luís do Maranhão
Sexta-feira, 14-06-2013



 

quinta-feira, 13 de junho de 2013

"Um hoje vale por dois amanhãs."

"O eu de mim  dentre lutas de ontens aprendi que 'um hoje vale por dois amanhãs' [Benjamin Franklin] que com o jeitinho Irane de ser - maluquete e irreverente de reescrever finais para minhas historietas pessoais. vou  reinventando novas cores, novas alegrias, novos esperançar, novas vontades  para o inicio e meio de  permanências em mudanças  de colorir    lágrimas em sorrisos, impossível em possível, nãos em sim  do tudo e o nada que chega a minha porta  a cada dia".
Irane Castro
Quinta-feira,13-06-2013

'...eu pertenço de andar atoamente"

Pretiando assim:
"Hoje encontrei essa entre os demais registros do eu de mim, em Alcântara (Maranhão - 2012) depois de muitos Nãos em sim , eu pertenço de andar atoamente." [Manoel de Barros] num ato de alegria e gozo de vitórias do tudo e do nada que  foi construído  com meus alunos do 2ª ano B em trilhas além-mar na busca de entender as raízes históricas da nossa amada Ilha do amor (São Luís do Maranhão)
Irane Castro
Quinta-feira, 13.06.2013

"Vou-me pessoar com Pessoa"

Pretiando assim:
Foto: "Vou-me por aqui pessoar  em pessoa, com pessoa e por pessoa   de felicidade  hoje e sempre de Fernando Pessoa"
Irane Castro
13-06-2013
"Vou-me o eu de mim, por aqui pessoar em pessoa, com pessoa e por pessoa    o caminho caminhado de caminhante que  aprendi a enfeitar com palavras de Fernando Pessoa o tudo e o nada  de amor e de felicidade dentro de mim  hoje e sempre."
Irane Castro
São Luís - Maranhão
 13-06-2013

 

segunda-feira, 10 de junho de 2013

"Eu quero nascer todos os dias..."

Pretiando assim: 
"Eu quero nascer todos os dias em amor, respeito, carinho, paz, fé, coragem e vontades do eu de mim em recomeçar o tudo e o nada de os ontens em hoje's de permeâncias em mudanças em ser feliz no agora, imediatamente."
Irane Castro
Segunda-feira, 10-06-2013


 

"A ti vim encontrar porque era preciso."

Pretiando assim:
"No ontem 'os outros eu conheci por ocioso acaso. A ti vim encontrar porque era preciso." [Guimarães Rosa}necessário  e escrito nas estrelas, no vento, na lua, no sol, no mar que és  minha cara-metade, meu homem, meu tudo e  nada de tudo para   tecer  teias de amor comigo.
E   o eu de mim canta agora de prazer de hoje's  por ganhar  num  presente em amor para amar  um amor  apaixonante  amadíssimo por alguém  muito especial em meus agoras.
 Um acaso  que revelou-se devagarinho num construto de casal amante-amado entre lágrimas, problemas, risadas, barreiras, obstáculos, fé, amizade, gratidão, companheirismo nessa batalha de vida a dois,  juntos em  carinho, separados em opiniões, colados em ideais, ligados por historietas divergentes transformadas em convergência  a cada instante e  somos um grude  em lutas por manhas e manhãs  de uma lindo amanhã de permanências em mudanças   a cada dia, logo.

"Novos eu's de mim a cada dia"

Pretiando assim:
"Novos eu's de mim a cada dia que aprendi a repuxar nas dificuldades em superação por ladeiras do ontens em hoje's de histórias reais que fui reinventando e reescrevendo  com o jeitinho Irane de ser - maluquete e irreverente de conquistar um mundinho infinitamente particular de historiar aqui, ali e acolá  o caminho de caminhante do caminho caminhado que vou percorrendo como uma iniciante de maratona que quer chegar ultrapassando barreiras, obstáculos e amando a mim e o outro em respeito.
 Igualmente, reflorindo meus  propósito na estrada do mundo, recomeçando  novos dias, novos momentos, novas dores em alegrias, novas ausências em cheganças, novas perdas em ganhos de fé além de novas histórias sabendo que há um novo dia presente em mim no agora, pra já."


 

"Eu sou minhas histórias".

Pretiando assim:

" Aprendi com o eu de mim a  catar meus ontens de aprendiz  em hoje's, pois  'eu sou o romance. Eu sou minhas histórias"{Kafka} que  vou reescrevendo, recolorindo, reflorindo meu mundinho infinitamente particular de encarar o mundão.
Para isso,  os meus pés cansados mais persistentes em percorrer   o  caminho de caminhante do caminho caminhado com  vontades de  querer recomeçar   cada dia como único de paz, enxugando lágrimas em belos sorrisos, enfeitando com flores a estrada e dançando dificuldades para ter manhãs e manhãs, imediatamente."
Irane Castro
Segunda-feira, 10-06-2013.
 

domingo, 2 de junho de 2013

"Eu não tenho paredes......"

Pretiando assim:
"Agora o eu de mim por ai ' não tenho paredes, só tenho horizontes' Mario Quintana) que  com o jeitinho Irane de ser - maluquete e irreverente visionei no ontens em hoje's de ser feliz no agora, imediatamente." 
Irane Castro
Domingo, 02-06-2013
 
 
Eu gosto do impossível,
tenho medo do provável,
dou risada do ridículo e choro porque tenho vontade,
mas nem sempre tenho motivo.
Tenho um sorriso confiante que as vezes não demonstra o tanto de insegurança por trás dele.

Sou inconstante e talvez imprevisível.
Não gosto de rotina.

Eu amo de verdade aqueles pra quem eu digo isso,
e me irrito de forma inexplicável quando não botam fé nas minhas palavras.
Nem sempre coloco em prática aquilo que eu julgo certo.
São poucas as pessoas pra quem eu me explico...

Bob Marley