sábado, 19 de dezembro de 2015

"... caminhos em comigo’s !"

“... do  beco  particular   eu’s tão viageira de palavras:
_ me ouso  no reescrevinhamento das caídas,;
_ me abuso no  rehistoriamento  do  tudo ;
_  e , me teimando até em nada’s  doutros   (re)começos do agora.
Até mesmo, chorando mágoas persisto instantes,  com jeitinho Irane de ser – maluquete e irreverente, que desaprendo essas dores em inventados loucuras-loucas de ainda, sorri vida, em vida e com vida os caminhos em  comigo’s – a cada hoje!”
 Irane Castro
Beco da Preta
Sábado, 19-12-15
São Luís- Maranhão

"...que luzes brilhem até meus nada's!"

“... eu’s abusada, teimosa e ousada saio    peitando  TUDO que chega a  minha porta.
Deixo-me que  luzes brilhem até os meus nada’s.
 E, saboreio fé em mais, passos do caminhares d’outros   hoje!’ 
Irane Castro
Beco da Preta
Sábado, 19-12-15
São Luís- Maranhão

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

“... fui-me ali, ainda, viver hoje's

“... fui-me ali.
Volto  para {re}começar TUDO outra vez.
 Detalhes para o  rehistoriamento  de   meus caminhares.
E, ousadamente   enfeitando  até o NADA, em motivos de viver hoje’s !!!“
Irane Castro.
Beco da Preta

".... reescrevinhando eu's, hoje's!

“... ainda, reescrevinhando  as dores que me chegou   em tantos mais caminhos de sorrir meu  eu’s.
Simplesmente, agradecendo TUDO e vivenciando até o NADA tão teimosa, tão pelejante, tão ousada e tão jeitinhos Irane de ser (maluquete e irreverente) de  GENTE, a cada  hoje’s –  aqui, ali e acolá!”
 Irane Castro Beco da Preta Beco da Preta
Sexta-feira, 18.12.15
São Luís – Maranhão

“... foi o meu eu’s 2014”

“... foi o meu eu’s 2014”
Irane Castro
Beco da Preta
Sexta-feira, 18.12.15
São Luís – Maranhão


“.... quero paz em eu’s aqui!"

“.... quero paz em eu’s aqui, ali e acolá hoje e sempre!”
Irane Castro
Beco da Preta
Sexta-feira, 18.12.15
São Luís – Maranhão


"...sou meus eu’s ontens hoje’s"

"...sou meus eu’s ontens hoje’s"
Irane Castro
Beco da Preta
Sexta-feira, 18.12.15
São Luís – Maranhão

"... verbeando com minha papelândia!"

“... bem aqui, verbeando com minha papelândia!”
Irane Castro
Beco da Preta
Sexta-feira, 18.12.15
São Luís – Maranhão


"... eu's a recomeçar hoje's!"

“... que meus eu’s não perca a vontade de recomeçar o tudo e até o nada, em hoje’s!”
Irane Castro
Beco da Preta
Sexta-feira, 18.12.15
São Luís - Maranhão

".... alimento eu's de vida!"

‘...alimento  meus eu’s  em  motivos de vida – a cada hoje!”
Irane Castro
Beco da Preta
Sexta-feira, 18.12.15
São Luís - Maranhão

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

"...“ ...sou Maria, linda!"

“  ...sou Maria, linda da Tia Irane!”
Irane Castro
Beco da Preta
In: 01.12.14
Quinta-feira, 09-12-15


"... eu's no granjear-me d’outros agora!"

“...Dezembro consista  o  granjear-me d’outros agora, em meu hoje!!”
Irane Castro
Beco da Preta
In: 01.12.14
Quinta-feira, 09-12-15

"... acolho motivos de vida, em hoje's!"

“...acolho ventanias,  aproveito-as para  semear e cultivar no jeito, jeitinhos e jeitões Irane de ser – maluquete e irreverente,  motivos de   caminhares em agradecimentos do TUDO e, até o nada que chega.
E, continuadas vontades de RECOMEÇAR, REINVENTAR e REHISTORIAR  minhas lágrimas em sorrisos, a cada  hoje!”
Irane Castro
Beco da Preta
Quinta-feira, 09-12-15
São luís- Maranhão


domingo, 6 de dezembro de 2015

"....eu’s em faze-te sem limites no tempo."

" ... vou parodiando eu’s   em faze-te sem limites no tempo.  Valendo-me,  tua  palavração Cecilia Meireles  que simplesmente  revela  meus eu’s  controverso e rebelde que   amoldei   em olhares  até  para os NADA’S com o jeito,  jeitinho e jeitões Irane de ser  (maluquete e irreverente)  de estar gente.
Tão   viajadora de palavras,  em constante construto de consenso comigo’s e peitando vontades  para  rechear dores em sorri  o agora.
Aproveitando o  dia, n’outros  querer ainda, que meu  mundo infinitamente particular, me permita caminhares e, me   resguarde  desse medo de  TUDO  em hoje e,  sempre!! Irane Castro.
 Beco da Preta
 Domingo, 06.12.15
São Luís- Maranhão

"...sou essa gente que se dói inteira, com o TUDO em hoje's!!

  “... domingando eu’s em vivas a Raquel de Queiroz. Abuso  de um palavreamento poético que diz 'eu sou essa gente que se dói inteira porque não vive só na superfície das coisas'.
Apenas, uma criatura que me reinvento em VONTADES de rescrever meu destino do  tudo e o nada de sorri vida, com vida e pela vida no agora, de hoje’s!!”
Irane Castro
Beco da Preta
Domingo, 06.12.15
São Luís- Maranhão

"... esvoaço paz e bem em meus TUDO, hoje's!!

“...  eu’s   pelo caminho de caminhante do caminho caminhado, transportando-me  em vontades para refazer-me  a cada amanhecer.
E reinvento-me  com os jeitos, jeitinhos e jeitões Irane de ser (maluquete e irreverente)  de caminhares permanências em mudanças.
Com tanta frequência, que esvoaço  paz e bem em  meus  TUDO e  até o NADA   por mais um dia  cheio de vida, com vida, pela  vida– em hoje’s!"
Irane Castro
Beco da Preta
Domingo, 06.12.15
São Luís- Maranhão

sábado, 5 de dezembro de 2015

".... cheirinho do eu's em metamorfose!!"

“...em regras não sei  escrever e, nem irei aprender JAMAIS.  Unicamente, aprendi a  abusar das  letras para arejar  os medos e palavrações sobre  a profundeza  que desmoronou e se  elevou meus  eu’s.
Com tanta intensidade,  que as palavras:
-  Tornou-se  bálsamo para as minhas dores em  risadas;
_Aprimorou    passagem  resignadas de minhas    moléstias ;
 _   Completou    passos   para  o conhecimento  de  meus  tudo;
_  Consagrou  tempo para escrevinhar  de  meus  nada’s
 ‑   Expandiu  escasso  tempo,  em vontades caminhares de meus  agora;
_ Levou para  controverter  rótulos ,  de  minhas permanências em mudanças;
 _ Desvirtuou  a desesperança em   olhos  d’outros em mim;
_ Serviu de aprendizagem   de vivência de  meus  instante’s;
_ Doutrinou  o rehistoriamento  de meus caminhares.
De tal maneira, que prevalece dentro  e/ou  fora  aquilo  que interessa  e, é sentido  em mim. Uma vez que,  tenho  pressa  no  reescrevinhamento de  palavreados silêncios  como barulhadas  aparecimentos do meu consenso e controvérsia   de GENTE. Tão saliente que uso e abuso pra dizer que ‘falando sou pior que calada’.  Estratégia desenvolvida e compreendida  em loucuras-loucas que  tive o equilíbrio do dia de lágrimas  e/ou risos.
Expressões reinventada na essência  espelhada pelos jeitos,  jeitinhos, jeitões Irane de ser  (maluquete e irreverente), que observa  as coisas pelo lado belo,  claro e simples. Ainda, nota meiguices e compreensões mesmo que silenciosas por ali e cá.  A gostosura de rabiscar sentido SALVOU-ME  da maldade  compassiva, espalha meu cheirinho de maluca-beleza e fez-me metamorfose ambulante que contagia,  habilita   e constrói  MOTIVOS  para  sorrir  vida, com vida e  pela vida  no meu pra já – em hoje’s!!”
Irane Castro
Beco da Preta
Sábado, 05.12.15
São Luís- Maranhão

".... instante's do parti a merda e/ou fica a bosta?"


“...ampla enfermidade de eu’s, tu, nós  e TODOS experimentando   no próprio  corpo- mente-bolso    a  virose econômica que veio de mansinho - nunca teve prevenção. Ao contrário, extremamente propagandeada  como simples gripe e  disfarçada em crescimento. Tão-só,  ocultada  por uns, esbanjada por gerados grupos e, vitimou   o brasileiro -  já que   NÃO foi vacinado contra essa  febre parcimoniosa e  mundial.
Com intensidade, comprometeu   áreas  politico-social-educacional e muito mais,  como  mera circunstâncias  sem justificativas, sem reparos e  sem saída  - as vezes,  vista e aplaudida como normalidade - em terras brasilis.
Ninguém assume erros nem castigado. Espelha-se a vergonha nacional, espalha-se a impunidade e experimenta-se o pão e circo, em  alto grau de desenvolvimento que a inova  o ‘ Brasil de  abundante  nada’s.
Inda, magnitudes de   uso e abuso de poder,  buliçosas palha-assadas governamentais e excesso   de  validade da coisa nenhuma. Assisto  uma encenação  sobre  o agora ‘é parti a merda e/ou fica a bosta’ do  tanto faz ,  pela elevadíssima que  de TUDO é cagada. 
Por cá, exclusivamente,  o  trabalhador paga a conta, vivencia  situação- problema pela  demanda da ausência. E de modo inclusivo, chora a morte do respeito aqui, ali e acolá  pra já -  em cada hoje!”
Irane Castro 
Beco da Preta
In: Sexta-feira, 04.12.14
Sábado, 05-12-2015
São Luís- Maranhão


".... instante's do parti a merda e/ou fica a bosta?"

“...ampla enfermidade de eu’s, tu, nós  e TODOS experimentando   no próprio  corpo- mente-bolso    a  virose econômica que veio de mansinho - nunca teve prevenção. Ao contrário, extremamente propagandeada  como simples gripe e  disfarçada em crescimento. Tão-só,  ocultada  por uns, esbanjada por gerados grupos e, vitimou   o brasileiro -  já que   NÃO foi vacinado contra essa  febre parcimoniosa e  mundial.
Com intensidade, comprometeu   áreas  politico-social-educacional e muito mais,  como  mera circunstâncias  sem justificativas, sem reparos e  sem saída  - as vezes,  vista e aplaudida como normalidade - em terras brasilis.
Ninguém assume erros nem castigado. Espelha-se a vergonha nacional, espalha-se a impunidade e experimenta-se o pão e circo, em  alto grau de desenvolvimento que a inova  o ‘ Brasil de  abundante  nada’s.
Inda, magnitudes de   uso e abuso de poder,  buliçosas palha-assadas governamentais e excesso   de  validade da coisa nenhuma. Assisto  uma encenação  sobre  o agora ‘é parti a merda e/ou fica a bosta’ do  tanto faz ,  pela elevadíssima que  de TUDO é cagada. 
Por cá, exclusivamente,  o  trabalhador paga a conta, vivencia  situação- problema pela  demanda da ausência. E de modo inclusivo, chora a morte do respeito aqui, ali e acolá  pra já -  em cada hoje!”
Irane Castro 
Beco da Preta
In: Sexta-feira, 04.12.14
Sábado, 05-12-2015
São Luís- Maranhão



quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

"...sou viajante em comigo’s!"

“...  em lentos passos para não assustar nem atrapalhar NINGUÉM.  Simplesmente,  sou viajante em comigo’s.
Num construto das marcas do jeito, jeitões e jeitinho Irane de ser - maluquete e irreverente de gente, estar gente e viver como gente -  não para agradar outros e, sim eu's em instante’s.
Tão inigualável que  desaprendi  medos em coragem de aceitar-me como nasci.  Sem  a possibilidade azedar-me pela opinião d’outros. Exclusividade de semeaduras do que me é imprescindível,  em meus eu’s. Tanto que:
_ Reconstruí o que me serve no  universo particular de  olhar o instante;
_ Rehistorio  permanências em mudanças do agora;
_ Equilibro dores em sorriso da temporada;
_ Agradeço o que chega a estações;
_ Reinvento meus TUDO da ocasião;
_ Florejo   até os NADA pelo caminhares do agora.
E,  coexisto-me dia como se fosse  ultimo no aplaudir  vida, com vida  e pela vida em hoje's!

Irane Castro
Beco da Preta
Quinta-feira, 03.12.15
São Luís- Maranhão

"... ainda, quero-te paz em hoje's!"

“... paz palavra tão simples, de sentido tão forte, presença tão pouco experimentada e por, tantas vezes despedaçada.
 És imperativa  no andamento em eu’s, tu, nós  e todos de si, para os outros.
Em tão alto grau, é tempo de recriá-la a cada instante, para a vivencia de vida, com vida e pela vida dum mundo melhor em hoje’s – aqui, ali e acolá!!!!
Irane Castro
Beco da Preta
Quinta-feira, 03.12.15
São Luís- Maranhão

"...sou uma metamorfose ambulante!!"


“... sou uma  metamorfose ambulante. Constituo-me em  constantes viravoltas  do TUDO,  para que   NADA  impeça-me  d’outra caminhada, inove-me  permanências em mudanças  e, tantos mais   recomeços  de sorrir vida-   a cada hoje!!”
 Irane Castro
In: 02.12.15
Beco da Preta
Quinta-feira, 03.12.15
São Luís- Maranhão

"... Dezembro espalhe paz - aqui, ali e acolá!"

“....Dezembro  te peço mais   MOTIVOS de  paz, bem  e  vida, a cada hoje – aqui, ali e acolá !”
Irane Castro
In: 01/12/15
Beco da Preta
Quinta-feira, 03.12.15
São Luís- Maranhão

".... mais paz aqui, ali e acolá!"

“....Dezembro  te peço mais   MOTIVOS de  paz, bem  e  vida, a cada hoje – aqui, ali e acolá !”
Irane Castro
In: 01/12/15
Beco da Preta
Quinta-feira, 03.12.15
São Luís- Maranhão

“....Dezembro semeei MOTIVOS de paz!"

“....Dezembro semeei  MOTIVOS de  paz , bem  e  vida, a cada hoje – aqui, ali e acolá !”
Irane Castro
In: 01/12/15
Beco da Preta
Quinta-feira, 03.12.15
São Luís- Maranhão

Eu gosto do impossível,
tenho medo do provável,
dou risada do ridículo e choro porque tenho vontade,
mas nem sempre tenho motivo.
Tenho um sorriso confiante que as vezes não demonstra o tanto de insegurança por trás dele.

Sou inconstante e talvez imprevisível.
Não gosto de rotina.

Eu amo de verdade aqueles pra quem eu digo isso,
e me irrito de forma inexplicável quando não botam fé nas minhas palavras.
Nem sempre coloco em prática aquilo que eu julgo certo.
São poucas as pessoas pra quem eu me explico...

Bob Marley