sábado, 29 de setembro de 2012

uma definição: ESSE É ZIKA

Pretiando assim:
uma definição: ESSE É ZIKA !
Esta é a prova maior de que, quando queremos, tudo podemos. Um grande exemplo de dignidade e honradez. Ex faxineiro... ele limpava banheiros no TRE do DF. Filho de uma dona-de-casa e de um pedreiro... Dividia o tempo entre os bancos escolares e a faxina no TRE do Distrito Federal.
Apaixonado por línguas. Um dia, o mineiro, na certeza da solidão, cantava uma canção em inglês enquanto limpava o banheiro do TRE.
Naquele momento, um diretor do tribunal entrou e achou curioso uma pessoa da faxina ter fluência em outro idioma. A estranheza se transformou em admiração e, na prática, abriu caminho para outras funções. É fluente em francês, inglês, alemão e espanhol. Formou-se em Direito pela UNB, sendo a época o único negro da faculdade. Passou nos concursos de: Oficial da Chancelaria, Advogado do Serviço Federal, Procurador da República, Professor da Universidade do Rio de Janeiro.
Ah, ele toca piano e violino desde os 16 anos de idade.
 Para quem acha que não é verdade, acesse o site da Wikipedia:
 http://pt.wikipedia.org/wiki/Joaquim_Barbosa

Hebe és uma rainha suprema{...} deixou o espaço em branco de mais um que se foi.....

Pretiando assim:
Hebe Camargo és uma rainha  suprema.
Hoje, 29.09 deixastes teus súditos, foste para outra dimensão.
Teu brilho será eterno, agora  a  resplandecerá em outros espaços.
Mas, a tua  presença será eternizada pelo:
Sorriso encantardor;
Gargalhada única;
Carisma especial;
Charme característico;
Falas marcantes: Gracinha.... Gracinha....
E os selinhos carinhosos, tua marca individual;
Luta pela vida e uma fé marcante.
Como qualquer ser humano, teve seus lápsos-defeitos. Mas, a tua imensa alegria de viver, entre tantos atributos que dividiu-somou-multiplicou para subtrair a tristeza de muitos.
Por anos de experiencia te tornastes, a rainha-mor do mundo televisivo brasileiro. Cabe agora fãs-admiradoress  espelhar-se no teu reflexo e nos caminhos que conseguiste abrir  para si mesma e outros tantos  quem faz emparte desse meio.
Foste uma vencedera de imensas batalhas  de grandiosidade da luta em vida, com vida, por vidas e pela vida com garra-vontade-sabedoria.
Nos derradeiros momentos perdeu a batalha para essa doença que lutaste braviamente. aprendir que cedo ou tarde é o caminho de todos os humanos.
 Uma lacuna fica em aberto com essa perda. Muitos tentaram ocupar, outros em homenagens, abocanhar um pouco dessa experiência, NUNCA preenchido, és primeira-dama, majestade soberana que jamais perderá o trono e seus súditos.
.....   ......  ......  .....  .....   ......    ........ ......  ......   ...... ......... ....... ........... .......... ....
Um espaço em branco de mais um que se foi....
Que encontre a paz que necessita e o descanso que merece, teu brilho é infinitamente eterno.
Irane Castro
(29.09.12)

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Tim Maia, 70 PRIMAVERAS hoje e para sempre!!

Pretiando assim:
Tim Maia, 70 PRIMAVERAS hoje e para sempre continuará a embalar corações, casais apaixonados:
" É primavera,  te amo.
Meu amor.
Trago essa rosa, para lhe dar {...}.
Hoje o céu esta tão livre, vai chuva {...}”Foto: Tim Maia, 70 aninhos hoje e SEMPRE embalando com sua voz marcante, homenageando as raizes negras, o AMOR, as Poesias-Blues e  cantando ainda para muitos assim " É primavera, te amo Meu amor. Trago essa rosa, para lhe dar {...} Hoje o céu esta tão livre, vai chuva {...}”
Irane Castro.
OU
simplesmente afirmar que amores perdidos/encontrados por um recado dito por sua voz marcante, homenageadora das raizes negras, o AMOR-amante, a luta pelo querer, a vida real-presente-marcante, as Poesias-Blues e cantando ainda para muitos assim:
 " Ah! 
Se o mundo inteiro.
Me pudesse ouvir.
Tenho muito prá contar. 
Dizer que aprendi...
E na vida a gente. 
Tem que entender.
Que um nasce prá sofrer. 
Enquanto o outro ri.. {...}.
Que ainda existe um "AZUL DA COR DO MAR" para retratar a paz, o amor e a natureza para cada um.
Irane Castro.


 

terça-feira, 25 de setembro de 2012

[...] ser o que sou [...]

Pretiando assim:
Diante de atividades professorais que urgem em precisão como preparar aula para manhã, terminar de lê o conteúdo sobre as Civilizações Antigas baseadas nas ideias de Geoffrey  Blainey e "Uma breve História do Mundo"que entonam  conhecimentos numa linguagem mais acessivel e próxima da minha galerosa de terceiro ano além de infindáveis cadernetas que preciso terminar de preencher, uma montanha de avaliações para correção e um vale de relatórios que ainda não terminei devido um cansaço básico que estar tirando meu folego surge uma perguntinha básicas para uma indagação que  aqui bate na janela do meu cerebro, deixando aflita para saber simploriamente "Irane quem és?".
Agora quase posso afirmar que estou a passar pelo caminho da maluquice diária, diante de um monte de tarefas que ainda não conseguir terminar e nem vou mais fazer hoje. Simplesmente esse  pedido de S.O.S que foi postado no face do grupo"preciso de ajuda: avaliação de ..., nós ou metade da sala PRECISA DE UM DEZINHO", OUTROS RESPONDEM TODOS", e por ai vai as lamúrias que nem foram  dirigidas  a minha pessoa e nem tão pouco minha disciplina. Mas, estou a ajudar meus queridinhos via net para que eles consigam tirar uma nota razoável amanhã.                   Agora acredito numa frase que escutei ainda pouco na novela que dizia assim"deixei de ser. [...] afastei-me de minha essência [...]., diante do dinheiro e do querer".                                     Mas, EU como não tenho dinheiro nem tão pouco fama, quero apenas ser o que sou. Uma professora que ADORA o que faz, do jeito irreverente de ser, ser inventora-cientista de maluquices reais, remexer com o conteúdo e   continuar a andar por ai para saber a Irane que sou, me tornei ou espero ser.
Sei que cansaço passa e amanhã bem cedinho retornarei aos afazeres de todo dia como aula-escola-alunos-cadernetas-avaliações-notas, além de tudo,  a alegria da convivência acompanha-me diariamente SOU ÚNICA, briguenta, falo o que penso, sei ser agradável e amorosa quando necessário e assim Histo-Irane Eu vou...
Irane Castro (25.09.12)
 

"...a perda de um primo!"


Pretiando assim: 
“…querido Abraão Castro foi atender a chamada do SENHOR.Primo, que tua nova morada te conceda a paz eterna.
Aqui fico a lembrar os momentos de felicidade familiar que compartilhamos entre as brincadeiras,dores,choros,alegria, aprendizagem de descobrir o NOVO vivenciado com intensidade na infância.
Igualmente, as lutas diárias, árduas da juventude para termos a oportunidade de ser com orgulho, humildade, trabalho para glorificar a esperança de nossos pais para uma família de honra, força de vontade, e temerosa em fé - respeitando o que cada um acredita - além de todos calcados nos ensinamentos de  Joana Castro avó-mãe-pai-orientadora-matriarca Castro que guiou sua família com pulso forte e orientações marcantes. Hoje como adultos que somos, usufruímos dessas orientações compartilhadas com nossos filhos-netos-descendentes desse Clã familiar.
Irmão-primo, apenas um até breve, pois este é o caminho de todos nós.
Tua partida confirmou mais uma vez, que a única certeza da vida é a morte. Aos que ficam resta-nos as lágrimas, o conforto do abraço familiar para superar essa dor dilacerante da perda e esperar que o dia-noite-semana-mês-ano amorteça a ausência numa luz de saudades.
Irane Castro
Beco da Preta
São Luís_Maranhão

NInguém...

Pretiando assim:
Ninguém perde ninguém, por que ninguém possui ninguém.
Essa é a verdadeira experiência da liberdade: ter a coisa mais importante do mundo sem possuí-la."
John Lennon
Pretiando assim:

BRASIL CARINHOSO – PROFESSORA DE 74 ANOS BATEU FORTE NA “CAMARADA PRESIDENTA”

Professora Martha de Freitas Azevedo Pannunzio 01Professora Martha de Freitas Azevedo Pannunzio
O TEXTO É LONGO, MAS TIRE 10 MINUTOS DO SEU PRECIOSO TEMPO E…. LEIA, VALE A PENA
Último lembrete: a pobreza é uma consequência da esmola. Corta a esmola que a pobreza acaba, como dois mais dois são quatro.
Não me leve a mal por este protesto público. Tenho obrigação de protestar, sabe por quê? Porque, de cada delírio seu, quem paga a conta sou eu.
(Martha de Freitas Azevedo Pannunzio)
O texto é longo, mas vale a pena ser lido.
Observem a origem de quem escreveu.
BRASIL CARINHOSO
Bom dia, dona Dilma!
Eu também assisti ao seu pronunciamento risonho e maternal na véspera do Dia das Mães.
Como cidadã da classe média, mãe, avó e bisavó, pagadora de impostos escorchantes descontados na fonte no meu contracheque de professora aposentada da rede pública mineira e em cada Nota Fiscal Avulsa de Produtora Rural, fiquei preocupada com o anúncio do BRASIL CARINHOSO.
Brincando de mamãe Noel, dona Dilma? Em ano de eleição municipalista? Faça-me o favor, senhora presidentA! É preciso que o Brasil crie um mecanismo bastante severo de controle dos impulsos eleitoreiros dos seus executivos (presidente da república, governador e prefeito) para que as matracas de fazer voto sejam banidas da História do Brasil.
Setenta reais per capita para as famílias miseráveis que têm filhos entre 0 a 06 anos foi um gesto bastante generoso que vai estimular o convívio familiar destas pessoas, porque elas irão, com certeza, reunir sob o mesmo teto o maior número de dependentes para engordar sua renda. Por outro lado mulheres e homens miseráveis irão correndo para a cama produzir filhos de cinco em cinco anos. Este é, sem dúvida, um plano quinquenal engenhoso de estímulo à vagabundagem, claramente expresso nas diversas bolsas-esmola do governo do PT.
É muito fácil dar bom dia com chapéu alheio. É muito fácil fazer gracinha, jogar para a plateia. É fácil e é um sintoma evidente de que se trabalha (que se governa, no seu caso) irresponsavelmente.
Não falo pelos outros, dona Dilma. Falo por mim. Não votei na senhora. Sou bastante madura, bastante politizada, sobrevivente da ditadura militar e radicalmente nacionalista. Eu jamais votei nem votarei num petista, simplesmente porque a cartilha doutrinária do PT é raivosa e burra. E o governo é paternalista, provedor, pragmático no mau sentido, e delirante. Vocês são adeptos do quanto pior, melhor. São discricionários, praticantes do bullying mais indecente da História do Brasil.
Em 1988 a Assembleia Nacional Constituinte, numa queda-de-braço espetacular, legou ao Brasil uma Carta Magna bastante democrática e moderna. No seu Art. 5º está escrito que todos são iguais perante a lei*. Aí, quando o PT foi ao paraíso, ele completou esta disposição, enfiando goela abaixo das camadas sociais pagadoras de imposto seu modus governandi a partir do qual todos são iguais perante a lei, menos os que são diferentes: os beneficiários das cotas e das bolsas-esmola. A partir de vocês. Sr. Luís Inácio e dona Dilma, negro é negro, pobre é pobre e miserável é miserável. E a Constituição que vá para a pqp. Vocês selecionaram estes brasileiros e brasileiras, colocaram-nos no tronco, como eu faço com o meu gado, e os marcaram com ferro quente, para não deixar dúvida d e que são mal-nascidos. Não fizeram propriamente uma exclusão, mas fizeram, com certeza, publicamente, uma apartação étnica e social. E o PROUNI se transformou num balcão de empréstimo pró escolas superiores particulares de qualidade bem duvidosa, convalidadas pelo Ministério de Educação. Faculdades capengas, que estavam na UTI financeira e deveriam ter sido fechadas a bem da moralidade, da ética e da saúde intelectual, empresarial, cultural e política do País. A Câmara Federal endoidou? O Senado endoidou? O STJ endoidou? O ex-presidente e a atual presidentA endoidaram? Na década de 60 e 70 a gente lutou por uma escola de qualidade, laica, gratuita e democrática. A senhora disse que estava lá, nesta trincheira, se esqueceu disto, dona Dilma? Oi, por favor, alguém pare o trem que eu quero descer!
Uma escola pública decente, realista, sintonizada com um País empreendedor, com uma grade curricular objetiva, com professores bem remunerados, bem preparados, orgulhosos da carreira, felizes, é disto que o Brasil precisa. Para ontem. De ensino técnico, profissionalizante. Para ontem. Nossa grade curricular é tão superficial e supérflua, que o aluno chega ao final do ensino médio incapaz de conjugar um verbo, incapaz de localizar a oração principal de um período composto por coordenação. Não sabe tabuada. Não sabe regra de três. Não sabe calcular juros. Não sabe o nome dos Estados nem de suas capitais. Em casa não sabe consertar o ferro de passar roupa. Não é capaz de fritar um ovo. O estudante e a estudantA brasileiros só servem para prestar vestibular, para mais nada. E tomar bomba, o que é mais triste. Nossos meninos e jovens leem (quando leem), mas não compreendem o que leram. Estamos na rabeira do mundo, dona Dilma. Acorde! Digo isto com conhecimento de causa porque domino o assunto. Fui a vida toda professora regente da escola pública mineira, por opção política e ideológica, apesar da humilhação a que Minas submete seus professores. A educação de Minas é uma vergonha, a senhora é mineira (é?), sabe disto tanto quanto eu. Meu contracheque confirma o que estou informando.
Seu presente para as mães miseráveis seria muito mais aplaudido se anunciasse apenas duas decisões: um programa nacional de planejamento familiar a partir do seu exemplo, como mãe de uma única filha, e uma escola de um turno só, de doze horas. Não sabe como fazer isto? Eu ajudo. Releia Josué de Castro, A GEOGRAFIA DA FOME. Releia Anísio Teixeira. Releia tudo de Darcy Ribeiro. Revisite os governos gaúcho e fluminense de seu meio-conterrâneo e companheiro de PDT, Leonel Brizola. Convide o senador Cristovam Buarque para um café-amigo, mesmo que a Casa Civil torça o nariz. Ele tem o mapa da mina.
A senhora se lembra dos CIEPs? É disto que o Brasil precisa. De escola em tempo integral, igual para as crianças e adolescentes de todas as camadas, miseráveis ou milionárias. Escola com quatro refeições diárias, escova de dente e banho. E aulas objetivas, evidentemente. Com biblioteca, auditório e natação. Com um jardim bem cuidado, sombreado, prazeroso. Com uma baita horta, para aprendizado dos alunos e abastecimento da cantina. Escola adequada para os de zero a seis, para estudantes de ensino fundamental e para os de ensino médio, em instalações individuais para um máximo de quinhentos alunos por prédio. Escola no bairro, virando a esquina de casa. De zero a dezessete anos. Dê um pulinho na Finlândia, dona Dilma. No aerolula dá pra chegar num piscar de olhos. Vá até lá ver como se gerencia a educação pública com responsabilidade e resultado. Enquanto os finlandeses amam a escola, os brasileiros a depredam. Lá eles permanecem. Aqui a evasão é exorbitante. Educação custa caro? Depende do ponto de vista de quem analisa. Só que educação não é despesa. É investimento. E tem que ser feita por qualquer gestor minimamente sério e minimamente inteligente. Povo educado ganha mais, consome mais, come mais corretamente, adoece menos e recolhe mais imposto para as burras dos governos. Vale à pena investir mais em educação do que em caridade, pelo menos assim penso eu, materialista convicta.
Antes que eu me esqueça e para ser bem clara: planejamento familiar não tem nada a ver com controle de natalidade. Aliás, é a única medida capaz de evitar a legalização do controle de natalidade, que é uma medida indesejável, apesar de alguns países precisarem recorrer a ela. Uberlândia, inspirada na lei de Cascavel, Paraná, aprovou, em novembro de 1992, a lei do planejamento familiar. Nossa cidade foi a segunda do Brasil a tomar esta iniciativa, antecipando-se ao SUS. Eu, vereadora à época, fui a autora da mesma e declaro isto sem nenhuma vaidade, apenas para a senhora saber com quem está falando.
Senhora PresidentA, mesmo não tendo votado na senhora, torço pelo sucesso do seu governo como mulher e como cidadã. Mas a maior torcida é para que não lhe falte discernimento, saúde nem coragem para empunhar o chicote e bater forte, se for preciso. A primeira chibatada é o seu veto a este Código Florestal, que ainda está muito ruim, precisado de muito amadurecimento e aprendizado. O planeta terra é muito mais importante do que o lucro do agronegócio e a histeria da reforma agrária fajuta que vocês estão promovendo. Sou fazendeira e ao mesmo tempo educadora ambiental. Exatamente por isto não perco a sensatez. Deixe o Congresso pensar um pouco mais, afinal, pensar não dói e eles estão em Brasília, bem instalados e bem remunerados, para isto mesmo. E acautele-se durante o processo eleitoral que se aproxima. Pega mal quando um político usa a máquina para beneficiar seu partido e sua base aliada. Outros usaram? E daí? A senhora não é os outros. A senhora á a senhora, eleita pelo povo brasileiro para ser a presidentA do Brasil, e não a presidentA de um partidinho de aluguel, qualquer.
Se conselho fosse bom a gente não dava, vendia. Sei disto, é claro. Assim mesmo vou aconselhá-la a pedir desculpas às outras mães excluídas do seu presente: as mães da classe média baixa, da classe média média, da classe média alta, e da classe dominante, sabe por quê? Porque somos nós, com marido ou sem marido, que, junto com os homens produtivos, geradores de empregos, pagadores de impostos, sustentamos a carruagem milionária e a corte perdulária do seu governo tendencioso, refém do PT e da base aliada oportunista e voraz.
A senhora, confinada no seu palácio, conhece ao vivo os beneficiários da Bolsa-família? Os muitos que eu conheço se recusam a aceitar qualquer trabalho de carteira assinada, por medo de perder o benefício. Estou firmemente convencida de que este novo programa, BRASIL CARINHOSO, além de não solucionar o problema de ninguém, ainda tem o condão de produzir uma casta inoperante, parasita social, sem qualificação profissional, que não levará nosso País a lugar nenhum. E, o que é mais grave, com o excesso de propaganda institucional feita incessantemente pelo governo petista na última década, o Brasil está na mira dos desempregados do mundo inteiro, a maioria qualificada, que entrarão por todas as portas e ocuparão todos os empregos disponíveis, se contentando até mesmo com a informalidade. E aí os brasileiros e brasileira vão ficar chupando prego, entregues ao deus-dará, na ociosidade que os levará à delinquência e às drogas.
Quem cala, consente. Eu não me calo. Aos setenta e quatro anos, o que eu mais queria era poder envelhecer despreocupada, apesar da pancadaria de 1964. Isto não está sendo possível. Apesar de ter lutado a vida toda para criar meus cinco filhos, de ter educado milhares de alunos na rede pública, o País que eu vou legar aos meus descendentes ainda está na estaca zero, com uma legislação que deu a todos a obrigação de votar e o direito de votar e ser votado, mas gostou da sacanagem de manter a maioria silenciosa no ostracismo social, alienada e desinteressada de enfrentar o desafio de lutar por um lugar ao sol, de ganhar o pão com o suor do seu rosto. Sem dignidade, mas com um título de eleitor na mão, pronto para depositar um voto na urna, a favor do político paizão/mãezona que lhe dá alguma coisa. Dar o peixe, ao invés de ensinar a pescar, est a foi a escolha de vocês.
A senhora não pediu minha opinião, mas vai mandar a fatura para eu pagar. Vai. Tomou esta decisão sem me consultar. Num país com taxa de crescimento industrial abaixo de zero, eu, agropecuarista, burro-de-carga brasileiro, me dou o direito de pensar em voz alta e o dever de me colocar publicamente contra este cafuné na cabeça dos miseráveis. Vocês não chegaram ao poder agora. Já faz nove anos, pense bem! Torraram uma grana preta com o FOME ZERO, o bolsa-escola, o bolsa-família, o vale-gás, as ONGs fajutas e outras esmolas que tais. Esta sangria nos cofres públicos não salvou ninguém? Não refrescou niente? Gostaria que a senhora me mandasse o mapeamento do Brasil miserável e uma cópia dos estudos feitos para avaliar o quantitativo de miseráveis apurado pelo Palácio do Planalto antes do anúncio do BRASIL CARINHOSO. Quero fazer uma continha de multiplicar e outra de dividir, só para saber qual a parte que me toca nesta chamada de capital. Democracia é isto, minha cara. Transparência. Não ofende. Não dói.
Ah, antes que eu me esqueça, a palavra certa é PRESIDENTE. Não sou impertinente nem desrespeitosa, sou apenas professora de latim, francês e português. Por favor, corrija esta informação.
Se eu mandar esta correspondência pelo correio, talvez ela pare na Casa Civil ou nas mãos de algum assessor censor e a senhora nunca saberá que desagradou alguém em algum lugar. Então vai pela internet. Com pessoas públicas a gente fala publicamente para que alguém, ciente, discorde ou concorde. O contraditório é muito saudável.
Não gostei e desaprovo o BRASIL CARINHOSO. Até o nome me incomoda. R$2,00 (dois reais) por dia para cada familiar de quem tem em casa uma criança de zero a seis anos, é uma esmolinha bem insignificante, bem insultuosa, não é não, dona Dilma? Carinho de presidentA da república do Brasil neste momento, no meu conceito, é uma campanha institucional a favor da vasectomia e da laqueadura em quem já produziu dois filhos. É mais creche institucional e laica. Mais escola pública e laica em tempo integral com quatro refeições diárias. É professor dentro da sala de aula, do laboratório, competente e bem remunerado. É ensino profissionalizante e gente capacitada para o mercado de trabalho.
Eu podia vociferar contra os descalabros do poder público, fazer da corrupção escandalosa o meu assunto para esta catilinária. Mas não. Prefiro me ocupar de algo mais grave, muitíssimo mais grave, que é um desvio de conduta de líderes políticos desonestos, chamado populismo, utilizado para destruir a dignidade da massa ignara. Aliciar as classes sociais menos favorecidas é indecente e profundamente desonesto. Eles são ingênuos, pobres de espírito, analfabetos, excluídos? Os miseráveis são. Mas votam, como qualquer cidadão produtivo, pagador de impostos. Esta é a jogada. Suja.
A televisão mostra ininterruptamente imagens de desespero social. Neste momento em todos os países, pobres, emergentes ou ricos, a população luta, grita, protesta, mata, morre, reivindicando oportunidade de trabalho. Enquanto isto, aqui no País das Maravilhas, a presidente risonha e ricamente produzida anuncia um programa de estímulo à vagabundagem. Estamos na contramão da História, dona Dilma!
Pode ter certeza de que a senhora conseguiu agredir a inteligência da minoria de brasileiros e brasileiras que mourejam dia após dia para sustentar a máquina extraviada do governo petista.
Último lembrete: a pobreza é uma consequência da esmola. Corta a esmola que a pobreza acaba, como dois mais dois são quatro.
Não me leve a mal por este protesto público. Tenho obrigação de protestar, sabe por quê? Porque, de cada delírio seu, quem paga a conta sou eu.
Atenciosamente,
Martha de Freitas Azevedo Pannunzio
Fazenda Água Limpa, Uberlândia, em 16-05-2012
OBS.:- foi entregue em mãos à PRESIDENTE.
Irane Castro :Zuila Pereira, OBRIGADA por essa cartinha maravilhosa que expressa tão bem o meu,teu, nosso, todos os esforços de quem labuta e sofre principalmente com a desvalorização do educador-escola-educação que não é prioridade nem tão pouco investimentos no país das maravilhas Mas, que propaga uma visão do paraíso aqui e lá fora!!
ICastro (25.09.12)

domingo, 23 de setembro de 2012

Livros [...] um vicio, drogas, mania, paixão, mundo,conhecimento, amor....

Pretiando assim:
Você me chamou de louco.
Me chamou de viciado.
Disse que eu deveria largar isso.
 Me criticou. Me apontou.
Me abandonou.
Eu não te escutei.
Me deixei levar pela fantasia.
 Pelo romance.
Pelo suspense.
Pela fantasia.
Li.
Me apaixonei.
 Li novamente.
 Curti.
Viajei.
Me apaixonei.
Esse é o meu mundo.
Essa é a minha vida.
Esse é o meu clube.
A Viciados em Livros não é rádio.
Não é celular.
Mas é ilimitada.
(Texto: Claudio Schamis - Viciados em Livros).
Euzinha digo assim: Um vicio, drogas, mania, paixão, mundo, amor por livros. È super gostoso e principalmente quando expresso por palavras tão lindas como essa declaração do Viciados em livros. Parabéns aos amantes de uma boa leitura..

(Irane Castro - 23.09.12)

Parabéns aos amantes de uma boa leitura......

Pretiando assim:
  • Pretiando asim:
  • Você me chamou de louco. Me chamou de viciado. Disse que eu deveria largar isso.
  •  
  • Me criticou. Me apontou. Me abandonou. Eu não te escutei. Me deixei levar pela fantasia. Pelo romance. Pelo suspense. Pela fantasia. Li. Me apaixonei. Li novamente. Curti. Viajei. Me apaixonei. Esse é o meu mundo. Essa é a minha vida. Esse é o meu clube.A Viciados em Livros não é rádio. Não é celular. Mas é ilimitada. (Texto: Claudio Schamis - Viciados em Livros).
  • Euzinha digo assim: Um vicio, drogas, mania, paixão, mundo, amor por livros. È super gostoso e principalmente quando expresso por palavras tão lindas como essa declaração do Viciados em livros. Parabéns aos amantes de uma boa leitura..
  • (Irane Castro - 23.09.12)

     



    [..] a Paz onde se esconde? [...]

    Pretiando assim:
    Celebramos o Dia Internacional da Paz com John Lennon
    ♫ Imagine. [...] Imagine no possessions) ( I wonder if you can. No need for greed or hunger. A brotherhood of man. Imagine all the people. Sharing all the world OU [...]  [...] Imagine não existir posses.   Me pergunto se você consegue.   Sem necessidade de ganância ou fome.   Uma irmandade de humana. Imagine todas as pessoas. Compartilhando todo o mundo [...].


    Lennon meu caro, tá dificil de encontar. a paz, procurei  daqui e dali um exemplo  e não sei dizer-lhe o que é.~, pois a cada segundo  o desrespeito humano  é enorme, a falta de compreensão, a luta individual sobrepõe o outro e fico apavorada sem saber o que pensar sobre essa guerra humana da  luta pelo TER  tão  contagiosa que destoa o SER.
     

    Irane Castro

    Liberdade é....

    Pretiando assim:

    Liberdade é como saborear um passeio de bicicleta sem precisar apostar corrida com ninguém. Apenas pedalar. No nosso ritmo.
    Ana Jácomo

    quinta-feira, 20 de setembro de 2012

    Fui-me procurar [...].

    Pretiando assim:
    Inté!!
     Fui-me procurar entre palavras, paragráfos e páginas "o melhor de mim" e entender que [...] o amor deixa marcas para a vida inteira, a partir das idéias de Nicholas Sparks. E assim, confirmar uma viagem interletrada para a vivência amorosa que retrata a luta para mexer com as permanências e trazer mudanças reais.
    Foto: Fui-me procurar entre palavras, paragráfos e páginas "o melhor de mim"   e entender que  [...] o amor deixa marcas para a vida inteira (Nicholas Sparks)Irane Castro

     
     

    quarta-feira, 19 de setembro de 2012

    Parabéns Paulo Freire, Gigante da educação ontem, hoje e sempre!

    Pretiando assim:
    Mestre Paulo Freire hoje seria comemoração dos teus 91 anos de vida. Parabéns a todos aqueles que apreenderam contigo, usam de teus ensinamentos e tem a oportunidade de dizer, como Sou feliz de ter descoberto tuas leituras, de ter experienciado teus ensinamentos e estes ter enriquecido minha labuta diária com teorias e principalmente práticas de mudanças do meu Eu e do Nós/Todos educacional que é um legado para a o Brasil/Mundo e para sempre. 
    Foto: Mestre Paulo Freire hoje seria comemoração dos teus  91 anos de vida.   Parabéns a todos aqueles que apreenderam contigo, usam de teus ensinamentos e tem a oportunidade de dizer, como Sou feliz de ter descoberto tuas leituras, de ter  experienciado teus ensinamentos e estes ter enriquecido minha labuta diária com teorias e principalmente práticas de mudanças do meu Eu e do Nós/Todos educacional que é um legado para a o BRAsil/Mundo e para sempre. 
Irane Castro. De forma, bem simples assim sei dizer que meu  mundo  se transformou  quando busquei  soluções através da educação e teus ensinamentos foram a  bússula para direcionar minha realidade . Hoje, cada palavra aprendida, cada situação  de aprendizagem vivenciada em sala de aula, tento reproduzir o que aprendir através das leituras que fiz de tuas experiências educacionais.
     Irane Castro.
     (19.09.12)
     

     
     

    Fridamedeando assim.........

    Pretiando assim:
    Foto: Boa tarde!!
 "Nunca pintei sonhos, só pintei a minha própria realidade." (Frase de Frida Kahl).
Por aqui, fridamendeando esta  tarde  quentissima de setembro além de chateações presentes e reais!!
Irane Castro.  .Fridamedeando assim.........
     "Nunca pintei sonhos, só pintei a minha própria realidade." (Frase de Frida Kahl). Pois é, nesta tade de quentissima de setembro, onde até urubu tá voando só com uma asa - a outra para se abanar - enfrento chateações presentes e  reais que deixaram meu dia um pouco azedo. 
    Aqui abrindo parentese para entender/lembrar  fala de uma da colega de serviço Natale que diz" Na universidade não existe a  disciplina PACIÊNCIA". Uma verdade que aprendi na escola da vida, claro que sou sem noção, sem paciência, sem papas na língua e resta-me administar as situações vivênciadas qie as vezes por tão pouco sou magoada.
    Sei que no ato de defender minhas ideias, as vezes chego ao extremo da indignação, uso palavras fortes, expresso a minha fala, também quando percebo que fui longe demais, peço desculpas  por gestos-palavras se magoeei alguém.No entanto,  os OUTROS pouco ou quase não perecebem que também tenho coração. Não tenho o hábito de sair ofendendo por ai, nem tão pouco  ser mal humorada, levo as situações e tento solucioná-las com as cores da realidade do meu jeitinho de ser irreverente.
    NADA DE NOVO. Sou assim e dai?
    Aprendir com as experiências a ter equilibrio, lutar por cada segundo de vida, por encarar as adversidades com esperança. Por vezes, um gesto simples, palavras jogadas indiretamente arrasam com  meu dia e assim fico a curtir uma dor profunda  de ausência.
    Irane Castro

     
     

    sábado, 15 de setembro de 2012

    A sutiliza diária

    Pretiando assim:
    "A sutileza de nossa visão, não depende de quanto somos capazes de ver, mas de quanto somos capazes de sentir."(Helen Keller).
     Na minha fala, preferir a comparação com outro animal Pos, sou tão sutil quanto uma elefanta: pesada (quilos a mais), vou engolindo o máximo que posso, mais quando a explosão ocorre é trobamda para todos os lados. No entanto, maezona e carinhosa com meus filhotes - meus, teus, nossos.
    Irane Castro

    Conversaria de uma maluquete sem sono com a velha-conhecida Insônia.

    Pretiando assim:
    Insônia, amiga - companheira de guerra vieste fazer uma visitinha?Por onde tens andado? Tinha esquecido dessa maluquete de plantão?Alguns dias que não tinha notícias suas, queridas. O que trazes de novidade? Viu, são tantas indagações. Mas, vou dar um tempinho para  que passemos  a limpo os últimos babados. Uuuuuu isso é uma conversaria de uma maluquete sem sono com a velha-conhecida Insônia.  É possivel mesmo ou a ausência de sono tá acelerando os arroubos de loucura, kkkkkkkkkkk.
    Prosssegue assim a confraria:"Sabes, amiga-Insônia até que sentir sua falta, pois em suas vistações aproveito esse tempinho mais longo para descrever algumas bobagens que ficam guardada na cabeçola e no corre-corre diário falta tempo de colocar em palavras". Por isso, mais uma vez reafirmo, Seja Bem-vinda! 
    A insônia é claro não fala nada, apenas escuta e remexe os pensamentos - essa vai conferir todos os carneirinhos imagináveis.
    Eu a escrever detalhes soltos que marcaram o meu dia, como nas primeiras horas da manhã, vejo na janela,  minha flor-filha Orquidea afloroda (primeira rosa, depois de tanta espera, de um calor torrencial e controle do medo de perder minha plantinha), para um bom dia (mesmo quando nem fechei os olhos para ver o anoitecer);
    Também sair cedo para um super e gostoso  café matinal com  meu amado,  longe de stresse e rotina cotidiana  escola-alunos-trânsito-engarrafmento- outras coisitas  e motivação para outra aventura matinal, que em seguida vivenciei complementou essa manhã e o  mais incrivel foi o  interesse dele em  descobrir/ver/olhar o têm VPL de São Luis, os trilhos e o aceleramento da obra faraônica. Ainda mais legal,  por esquecimento  da camera fotográfica, faltou registar com uma fotografia histórica esse episódio hilariante numa São Luis histórica que tentam rejuvenecê-la com ares globalizantes.
    Igualmente, para aproveitar a ausencia de indícios sonolentos e avivar minha tão flamigerada teimosia, inventei de  remexer no Beco da Preta tentando acrescentar-lhe uma nova roupagem sem desfazer-me totalmente dos antigos acessórios que lhe emprestam um ar de "Zenzala" ou "Beco de encontro da negralhada". Tarefa árdua, colocada em prova de resistência com a interlerda (empresa que mantem-me conectada com o mundo virtual).
    Na verdade tive que tomar uma dose de paciência para não explodir. Imagina os que conhece-me sabemque não tenho esse adjetivo, além de ser explosiva. Sabe, foram tantos PQP, WTF, Karolho entre tantas palavras lisonjeiras que chegaram a minha boca e que tentei dominar, devido a dor-de-cabeça que me acompanhou a tarde toda.
    Enfim, conseguir pelo menos dar uma camuflada no antigo com aparecência de novidade, também e dando vazão apara algumas bobalhada escritas anteriormente e entender as razões do abandono do amigo-sono e ter assunto para prosear com Tú, Personal - INSÔNIA. Pois é, curica- Insonia são tantas emoções, que sei que irei amanhecer feia de doer - olhos inchados, vermelhos e mal-humorada para variar.
    Iné vou tentar pelos menos descansar o corpo e pensar que "a felicidade me pertence".  Fui.....
    Irane Castro
    (16.09.12)


    Winehouse foste um talento não cultivado. Mas, será eternizada com essa voz de cantara negra [...]

    Pretiando assim:
    Ontem (14.09.12), a cantora Amy de Mitch Winehouse, completaria 29 anos. Digo-lhe, foste um talento não cultivado. Mas, será eternizada com essa voz de cantara negra da Georgia. com esse  jeitinho pop que foi tua marca registrada. Dentre tantos sucessos, o que conta tua história, tua luta, teus sucessos, teus amores e desamores e teus fracassos é...
    “Rehab” - They tried to make me go to rehab. But I said 'no, no, no'. Yes, I've been black, but when I come back. You'll know-know-know. I ain't got the time. And if my daddy thinks I'm fine. He's tried to make me go to rehab. But I won't go-go-go [...]. Ou siplesmente aportuguesando e dizendo assim "Reabilitação ............................................................................................. -Tentaram me mandar pra reabilitação.Eu disse "não, não, não". É, eu estive meio caída, mas quando eu voltar. Vocês vão saber, saber, saber.   [...]Prefiro ficar em casa com Ray (Charles).   [...]Não aprendi muito na escola. Mas, sei as respostas não estão no fundo de um copo. [...] Eu não tenho tempo.   [...] Eu não quero beber nunca mais. Eu só oh, só preciso de um amigo. Não vou desperdiçar dez semanas. Pra todo mundo pensar que estou me recuperando. [...]Não é só meu orgulho. É só até essas lágrimas secarem. [...] É, eu estive meio caída, mas quando eu voltar. Vocês vão saber, saber, saber.   [...] Mas eu não vou, vou, vou...........................................................Que é justamente uma musicalidade grandiosa, impar e incoerentemente com o sucesso,  ela vem contar tua luta inglória contra os vícios que te destruiram. Mesmo assim, entre as tantas letras escritas-cantadas por ti, ESSA é a representatividade maior do modo diferente-único de vestir, da magia do cantar roucamente e do poetizar da canção BLUES - vida, som e canção dor-vida-luta que empregastes nas músicas  para uma geração desconhecedora dos talentos dos descendentes africanos.
    Irane Castro (16.09.12)

    {...} cara Lispector te­nho que ter paciência {...}"

    Pretiando assim:
    "Te­nho que ter paciência para não me perder dentro de mim: vivo me perdendo de vista.Preciso de paciência porque sou vários caminhos, inclusive o fatal beco-sem-saída." (Clarice Lispector).
    Cara Lispector, estas palavras descrevem uma pessoinha por aqui que é totalmente  viajadora de leituras, engolidora de letras-paragráfos-páginas, uma viajante do tempo e  esquecida do mundo que me cerca.  
     Ah, sou eterna participante dos grupos dos perdidos em si mesma, numa constante tentativa de achar entre as tantas Irane que sou.
    Sempre estou a fazer mapas para não me perder  de vista, mas acabo perdendo-os e vivendo entre achados e perdidos diariamente;
    Sou eterna caminhante, participante de longas jornadas para encontar a mim mesma;
    Sou rotulada de MALUCA/DOIDA, quase nunca sou compreendida ;
    Mas, na minha insanidade vou levando os sonhos-vida-situações do jeitinho maluquete de ser/viver.
     Igualmente, quando me perco num beco -sem saida, dou asas a imaginação, aproveito os 3 L que me companham - leitura, livros, literatura e vou por ai histor-Irane sem pretensão de transformação geral. Apenas com petulância dos loucos, tenho que ter também paciência  para reinventar,recriar e reescrever um  mundo do jeitinho própio de ser.
     Irane Castro
    (15.09.12)
    Eu gosto do impossível,
    tenho medo do provável,
    dou risada do ridículo e choro porque tenho vontade,
    mas nem sempre tenho motivo.
    Tenho um sorriso confiante que as vezes não demonstra o tanto de insegurança por trás dele.

    Sou inconstante e talvez imprevisível.
    Não gosto de rotina.

    Eu amo de verdade aqueles pra quem eu digo isso,
    e me irrito de forma inexplicável quando não botam fé nas minhas palavras.
    Nem sempre coloco em prática aquilo que eu julgo certo.
    São poucas as pessoas pra quem eu me explico...

    Bob Marley