sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Gangue cor de rosa

Pretiando assim:
Compartilhando um fato diferente, o meu não conhecimento de ativista femeninas numa sociedade tão patriarcal, tradicional (India)

Gangue cor de rosa

Gangue pink: Ativistas mulheres se vestem de rosa na Índia
Elas são comprometidas com a proteção das mulheres, são contra a negligência social, administradores corruptos e maridos abusivos!
http://revistaglamour.globo.com/Lifestyle/noticia/2012/10/gangue-pink-ativistas-mulheres-se-vestem-de-rosa-na-india.html
Irane Castro

Vou-me Pessoar......

Pretiando assim:
"Vou-me Pessoar.
Vou-me poetizar  a tarde do Doce Novembro que chega ao fim.
Foto: "Vou-me Pessoar. Vou-me palavrear a tarde  do Doce Novembro que chega ao fim, pois " as  vezes ouço passar o vento; e só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido." Vou-me aprender com Fernando num vai-e-vem de Pessoas-Calheiros-Alvares de tantas pessoas numa só pessoa que enfeitou a pessoa com palavras amor-pessoa de pessoas do Eu-Tú para enfeitar o Nós-pessoas que ainda vive nas pessoas."
Irane Castro
Vou-me Pessoar - Irane Castro
Vou-me palavrear com Pessoas, que diz " as vezes ouço passar o vento; e só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido."
 Vou-me aprender com Fernando num vai-e-vem de Pessoas-Calheiros-Alvares de tantas pessoas numa só pessoa.

Vou-me deleitar coma a eterna pessoas  que enfeitou a pessoa com palavras amor-pessoa de pessoas do Eu-Tú para enfeitar o Nós-pessoas que ainda vive nas pessoas.
Vou-me fernadiar com a  quem  tornou-se a eterna pessoa que enfeita com palavras a pessoa  (30 de Novembro  de 1935).
Irane Castro
(30-11-12)

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

".... o cheiro de chuva por aqui!"

Pretiando assim:
Chuva..... Chuva.


Cheiro....
 de terra molhada,
de café,
de aconchego,
de limpeza,
de florescer,
de mudanças,
de problemas,
de renascer,
de alegria,
de esperança da troca de roupagem do velho
que surge com os ares de novo - verde,
brotando e alimentando a terra,
a vida e o amor.
Irane Castro (29-11-12)


Reaprendi

Pretiando assim:
Reaprendi
 a construir

Caminhada
caminhos sem me preocupar
com a chegada,
 apenas com cada
passo da caminhada."
[Renata Fagundes] 

Irane Castr
[29-11-12]

Vou-me aprendendo .....

Pretiando assim:
Vou-me aprendendo com os livros
o que necessito digerir {...},
 separar o que me alimenta,
  expelir o que faz mal,
além de saber propagar o mel ,
adocicar o fel e/ou sem gosto,
  de um jeitinho aprazível,
doidejantemente peculiar Irane de ser maluquete e,
  irreverentemente louca para encontrar palavras,
decifrar parágrafos,
 redescobrir as páginas da história
que cerca-me por espaços
que busco aprender ser humano.  
Irane Castro

domingo, 25 de novembro de 2012

Sou o encontro e desencontro de muitos Eu.

Pretiando assim:
"Sou o encontro e desencontro da soma de muitos Eu comigo e comigos de mim;
Sou o encontro e desencontro de muitos  Eu que contam o caminho;
 Sou o encontro e desencontro de muitos Eu que procura uma direção;
Sou o encontro e desencontro de muitos Eu que precisa de um equilibrio;
Sou o encontro e desencontro de muitos Eu entre letras, leituras e livros  que enfeitam de conhecimento a vida num mundo real/imaginário;
Sou o encontro e desencontro de muitos Eu  que encontro aqui/ali motivos para arrumar o meu cá.
Sou o encontro e desencontro de muitos Eu  questionadora do  mundo, gente, vida e situações;
Sou o encontro e desencontro de muitos Eu

Sou o encontro e desencontro de muitos Eu  que vai ou reinventando, rabiscando, reescrevendo , recolorindo a história, as lutas, as derrotas e as vitórias da vida;
Sou o encontro e desencontro de muitos Eu mirabolante em  idéias para um mundo melhor;
Sou o encontro e desencontro de muitos Eu  ou aquela única que tem um Jeito Irane de ser irreverente e maluquete;
 Sou o encontro e desencontro de muitos Eu acompanhada e/ou sozinha vai  seguindo pela estrada da vida...
Sou o encontro e desencontro de muitos Eu  ora chorando, ora sorrindo utiliza de fé na vida;
 Sou o encontro e desencontro de muitos Eu que brinca com permanências e mudanças na história do Eu em mim."
Irane Castro
(25-11-12)

Domingando-me {....} o coração.

Pretiando assim:
Domingando-me
Foto: “E do que precisamos?
Anote aí, é pouca coisa: silêncio, arte e amor.” 

*Martha Medeiros

Feliz Domingo!!
Como ser uma frigideira e ser feliz.
 com palavras
de Martha Medeiros 
que diz:
“e
do
que
precisamos? 
Anote aí,
 é
pouca

 
coisa:
silêncio,
 arte
 e
amor.”
Comungando-lhes que hoje 
sejamos presenteados
 com
  um
lindo dia de sol, 
amor,
alegria
 e
paz em  todos
os corações
Irane Castro
(25.-11-12)



sábado, 24 de novembro de 2012

Não tente deter o vento {....}

Pretiando assim:
"Não tente deter o vento,

                             ele precisa correr por toda parte,
                                                                                               ele tem pressa de chegar sabe-se lá onde."
(Fernando Pessoa)


Não tente deter o vento, Irane Castro
Irane Castro. — em Fim Do Mundo



{....} vivo a passarinhar-me {...}

Pretiando assim:
Nasci passarinho.
Minha alma é livre.

Foto: '' Nasci passarinho. Minha alma é livre. Por mais que cortem minhas asas, nada podem fazer contra meus pensamentos. Ninguém prende ninguém. Somos prisioneiros se deixarmos. E eu não deixo. Eu não me deixo. E assim vou seguindo a vida... Voando alto, voando longe, deixando pra trás aquilo que não importa e levando comigo só aquilo que me faz bem, leve e me dá paz. '' (Reh Costa).
...............................................................
Eu vivo a passarinhar por aiii. 
Irane
.
Vivo a passarinhar-me
Por mais que cortem minhas asas,
nada podem fazer contra meus pensamentos.
 Ninguém prende ninguém.
Somos prisioneiros se deixarmos.
E eu não deixo.
Eu não me deixo.
E assim vou seguindo a vida...
Voando alto,
voando longe,
deixando pra trás aquilo que não importa
e levando comigo só aquilo que me faz bem,
leve
e me dá paz. ''
(Reh Costa).
.................................................................................................................................................................
Vivo a passarinhar-me por aiii.
Irane
. — em Fim Do Mundo

Eu em mim

Pretiando assim:
“Quem sabe,
                                um dia,
                                                       eu,
                                                                            em mim,
                                                                                                         colha um jardim?”
(Mia Couto - Idades Cidades Divindades)
Eu em mim, Irane Castro

Irane Castro

 

 

"... sou a casa amoresia, em hoje''s!"

Pretiando assim: 
O importante
não
 é
a
 casa
 onde
 moramos,
 mas onde,
 em nós,
 a casa mora"
 (Mia Couto)
São Luis _Ilha do amor
Irane Castro

Como Eu danço a vida!!

Pretiando assim:
"Sigo à risca.
Me descuido
 e
 vou…
Quebro a cara.
 Quebro o coração.
Tropeço em mim.
Me atolo nos cinco sentidos.
Viver não é perigoso?
Então, com sua licença!
 Não tenho medo.
Nasci assim.
Encantado pela vida.
O sertão é dentro da gente.
Aqui se vive.
 Aqui se morre.
 Dentro e fora da gente.
Confusão demais em grande demasiado sossego."
 (Guimarães Rosa)
Irane Castro
(24-11-12)

"A dor da saudade"

Pretiando assim:
A saudade  é uma dor viva,  
só quem sabe
é quem sentiu-viveu o sentido da perda,
de espaço vazio,
o quem ninguém substitui
além da indisivel saudade 
que os anos vão avivando.
A dor da saudade
Como diz, Mia Couto
"a    saudade
é uma tatuagem na alma.
Só nos livramos dela
perdendo um pedaço de       
            nós."                                   



As dores da saudade
Visita-me  dia-noite,
tempo de lágrimas
de cultivar as lembranças do vivido
de um  ontem bem presente no agora
que rasga em lacunas de saudade
de algo que não volta mais
dos que se foram
do que acabou
da ausência
do que partiu e não volta
de detalhes  em minuncias de saudade
 de uma história sem reprise.
Apenas um silenciar de alegrias e/ou tristezas a te acompanhar.
Irane Castro
(24-11-12)




"... tudo passa por agora's!"

Pretiando assim:

O ser humano é cheio de defeitos, 
o nosso olhar encobre os tais,
 ainda mais quando são de pessoas ligadas a nós.
As dores da vida cada um tem que ter sua cota, 
quem sente sabe dizer o tamanho do estrago.
 As palavras de quem estar de fora não aliviam a dor,
mas acalentam a alma por
ser a forma de expressar a solidariedade amiga. 
Agora a dor é profunda,
mais ela vai passar.
Tudo passa por agora's.
Dentro e fora da gente.
Para mais e por vida.
Imediatamente em hoje's!"
  Irane Castro
(24.11.12)

Sou somas do sou {....}.

Pretiando assim:


Sou pessoa;
Sou atitude;
Sou pele;
Sou suor;
Sou dores
Sou sorrisos;
Sou sonhos;
Sou luta;
Sou lágrimas;
Sou vitória;
Sou todas as cores de uma cor qualquer;
Sou a dança de uma dançante da vida;
Sou herança de um povo que formou o povo que sou;
Sou monte de histórias que conta a história do que sou;
Sou caminho de busca ter consciência de direitos do Eu, Tú e Nós;
Sou certeza de caminhante que precisa caminhar para encontrar o seu caminho;
Sou o tempo de idade-conhecimentos daquilo que me enriquece;
Sou Eu pessoa em todo lugar;
Sou respeito do que sou e do querer ser respeitada;
Sou somas do sou Irane Castro.
Irane Castro
(24-11-12)
 

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Eu.....

Pretiando assim:

Foto: "Eu deixo aroma até nos meus espinhos. Ao longe, o vento vai falando de mim". (Cecília Meireles)
Irane Castro.
Irane Castro

"Eu
deixo
aroma
 até
 nos
meus
 espinhos.
 Ao longe,
o
 vento
 vai
falando
                                                    de
                                                   mim".
 
(Cecília Meireles)
 



"És minha Ilha do amor"

Pretiando assim:
São Luis, tuas belezas singelas, proporcionam nuanças de uma velhice encantadoramente descritas por gente que deixou suas marcas nas historietas do lugar, “De noite, como a luz é pouca, a gente tem impressão de que o tempo não passa ou pelo menos não escorre como escorre de dia.” (Ferreira Gullar), onde tenho a impressão que estou a revisitar um passado bem presente inscrustada entre paredes, sobrados, azulejos, paralelepípedos, cantarias  num desfilar apreciado a cada caminhar.
São Luís do Maranhão - Ilha do Amor
Te gosto, te venero a cada olhar:
_ És minha Ilha do amor;
- És minha ilha de vidas sopradas no ar;
-És minha ilha marcada por ladeiras, becos, sobrados e janelas que contam as histórias de quem vive o lugar;
-És minha ilha desenhada  no  compasso de  fatos passado/presente do transitar  por lá;
-És minha ilha escrevinhada em  poesia de vida-pulsar de quem se encontra por cá;
_ Ès minha ilha musicada em ritmos e molejo apenas sentido por lá;
És minha ilha  querida com tantos problemas visíveis ali e acolá.
Sei que és minha ilha encantada pela magia da palavra de quem se arriscar a sonhar.
Irane Castro
(23-11-12)

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

{...}o fim do mundo é todo dia.

Pretiando assim:
Roubartilhei (roubar + compartilhar)  de Juliana Araújo (minha ex e eterna  aluna) o texto   abaixo:
"O fim do mundo não é no dia 21 de dezembro de 2012. O fim do mundo são os arrastões e assassinatos em São Paulo. É a onda de violência em Santa Catarina. É o furacão em NY. É o goleiro que manda matar a mãe do filho. É a bala perdida que mata a criança. É a mulher que mata a pauladas o cachorro. São os ataques terroristas que matam inocentes. É o aluno que agride o professor. É o professor que agride o aluno. São os adolescentes que planejam matar o colega. É quem ainda joga lixo na rua. São as brigas entre torcidas. É a menina que é estuprada dentro do ônibus. É o ladrão que tem regalias na prisão. É o político que rouba na maior cara de pau. É quem vê um acidente e não presta socorro. É quem presencia uma injustiça e não faz nada. É quem age com imprudência no trânsito. É quem age de má fé na vida. Por isso, o fim do mundo é todo dia." (Clarissa Corrêa)
 
..............................................................................................................................................................
 Poucos enxergam essa verdade e muitos não fazem nada para mudar esse final.
Irane Castro.

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

".... chorei pela impaciência por aí!"

Pretiando assim:

“...manhã vivenciada por  turbulentos sentimentos de raiva, mágoa, impotência aprofundastes nos rasgões de indisciplina escolar  que teimam em rondar  o meu  ato de professorar. Por leves segundos a sensação de luta perdida acelerou uma profunda tristeza,  desencadeou saudades de um  tempo que não tinha tempo, mas encontrava tempo para superar a falta de tempo de ter tempo, brincava com o tempo e com o tempo acrescentava um tijolo na minha construção  da linha do tempo com meus guris de cada tempo.
Hoje, os reflexos de um cansaço, de  visão de muitos pelo não  entendimento para tentar entender o  quem ainda não  entende, que precisar entender o vento e a direção.
Dei vazão às lágrimas e:
_ Chorei por não entender a situação;
 _ Chorei pelo momento de exaustão do outro refletido no meu olhar;
_ Chorei  pela impaciência de uns e  o deboche de alguns;
_ Chorei ao perceber que  outros - maioria permite ser minoria com a desnecessidade de lutas;
Chorei pelo desinteresse de tantos que preferem deixar o grupinho subir na onda e todos aproveitando a maré;
- Chorei pela minha falta de credibilidade  para entender o  não entendível do momento de entender o que ia desfilando ante a janela dos meus olhos;
_ Chorei por um choro da situação da falta de respeito que estar virando  rotina em vários contextos;
_ Chorei por sempre dialogar, negociar, brigar, aconselhar, ajudar e lutar juntamente e perceber que tudo isso, pode ter sido em vão;
_ Chorei por saber que não tenho medo de batalhas, de abrir o verbo, de rasgar a palavra, desembuchar minha raiva, de pedir desculpas, de começar quantas vezes  existir a necessidade;
- Chorei pelo esgotamento da minha paciência de   caminhar pelas trilhas de paciência.
Chorei.....Chorei...chorei.....Chorei....chorei......Chorei....chorei......Chorei.....chorei......chorei.
Depois, enxuguei e apaguei as marcas das lágrimas e nesse momento encontrei alento em palavras que soam  oração-paz  transmitida pela  citação   de Sirlei Passolongo que me disse "por vezes é preciso silenciar e esperar. Falar somente com Deus, guardar as palavras dentro de nós pra que não sejam evasivas ou tolas. E acreditar que não importa a dor, não importa o vento. Tudo vai passar... ''.
Lembrei que lavei a alma e desafoguei o  peito   dizendo minhas verdades - o que queria dizer para uns e o que  outros não queriam ouvir,  mesmo sabendo que aumentei minha cota das dores da vida. Como não coleciono angustias, levantei a cabeça, refiz o reboco (maquiagem), coloquei um sorriso no rosto, voltei a labuta  até chegar o momento de partir para  o meu beco particular (minha casa), com uma leve mancha de tristeza.
Agora, sacudir a poeira,  vento triste se foi, deixando um calorzinho gostoso para aquecer meu coração, uma luz para iluminar meu caminho e  amanhã de manhã como uma brava guerreira , armada de coragem-pacência-alegria irei  para mais uma batalha numa tentativa de aniquilar as permanências e acrescentar mudanças  na minha luta  diária  de professorar, com "jeitinho Irane de ser - irreverente e maluquete -  fazer o que gosto de fazer, começar tudo outra vez.
Irane Castro

(29-11-12)




{.....} o nada tenho profundidades.

Pretiando assim:
"Meu
fado
é
de
 não
 entender
 quase
tudo.
 Sobre
 o
nada
 eu
tenho
profundidades."
 {Manoel de Barros}
Irane Castro
(21-11-12)

"... sou reticências aqui e agora's!"

Pretiando assim:

Sou feita de vontades .....
Sou feita de desejos .....
 Sou feita de querer .....
Sou feita de amor .....
Sou feita de solidão do meu Eu para lapidar o Nós no momento de consolidor o outro .....
Sou feita de Companheirismo companhia que busca no outro compartilhar o ombro de companheiro .....
 Sou feita de solidariedade solidada na solidez de prestimos de ser util .....
Sou feita de imaginação imaginativa imagiante da imagem de criação imaginosa;
Sou feita de esperança;
Sou feita de alegria
Sou feita de caminhadas
Sou feita de dores da vida
Sou feita de paz;
Sou feita da magia das palavras;
Sou feita de carinho;
Sou feita de meiguice
Sou feita de rabugice
Sou feita de ira
Sou feita de lutas
Sou feita de remadas para atravessar o barco da vida,
Sou feita de sorrisos;
Sou feita de lágrimas
Sou feita de nostalgia
Sou feita de saudades;
Sou feita denegritude;
Sou feita de defeitos que ainda não aprendir a consertar;
Sou feita de luz
Sou feita de invenções, invencionices inventadas;
Sou feita de cores colorida colorada para colorir meu mundo;
Sou feita de garra
Sou feita de loucuras loucamente loucas;
Sou irritantemente irritante pela mania de ser irritante com aquilo que agride minha vida;
Sou escrevente de uma escrita escrita que escrevuinha a escrita da minha ida;
Sou historia dehistoricamente historetas que contam a história da hst da minha vida;
Sou feita de irreverência irreverentemente irreverente pelo novo que acredito ser relevante na minha vida;
Sou feita de instiga instantegantemente instigante por ter o novo que aprazigua minha vida;
Sou feita de intransigências intransgitemente intransigente com pontos de coesão que pontuo para minha vida;
Sou feita de Permanências e mudanças permanetemente permanente na minnha vida;
Sou feitas de pontos, virgulas, ponto e virgula e muitas reticências retecentemente reticencia aberta para minha vida.
Irane Castro
(21-11-12)

Eu gosto do impossível,
tenho medo do provável,
dou risada do ridículo e choro porque tenho vontade,
mas nem sempre tenho motivo.
Tenho um sorriso confiante que as vezes não demonstra o tanto de insegurança por trás dele.

Sou inconstante e talvez imprevisível.
Não gosto de rotina.

Eu amo de verdade aqueles pra quem eu digo isso,
e me irrito de forma inexplicável quando não botam fé nas minhas palavras.
Nem sempre coloco em prática aquilo que eu julgo certo.
São poucas as pessoas pra quem eu me explico...

Bob Marley