sexta-feira, 30 de agosto de 2013

" ...estado de LUTO por mais um desastre dos ventos cotidianos"

Pretiando assim:

"Choro mais uma vez,  em ver a batalha do ser   gente   abreviada em segundos devido a ganância de empresários que  destratam o suor humano em prol do  lucro  capitalista e o não interesse pelo bem-estar do trabalhador. Momento exemplificado em mais uma tragédia  que incidiu na perda de 08 (oito) operários  maranhenses  soterrados pelos escombros do edifício  que explodiu em São Paulo (terça-feira, 26.08).
 Notificações  que  se fez  marcante através das irregularidade  na obra, das responsabilidades não assumidas, na empregabilidade de  pedreiros  em forma de escravização pelas necessidades financeiras de muitos que constroem os alicerces da construção civil de um país em crescimento  habitacional,  não regulamentada pela prevenção  de vidas em trabalho.
Tamanha  profundidade da dor alheia, se  torna minha em sentir    a consternação   dos  familiares  inconsoláveis  em detrimento aos sofrimentos  imposto por   desastres previstos, não retratados  e nunca punidos.
Em rede nacional e internacional, confirmada outra vez,  a faceta  vergonhosa  do Maranhão, pelo tamanho de sua pobreza,  por ser fornecedor de mão-de-obra barata em grande escala para outros espaços além do  escarniar da ausência de políticas púbicas,  falta de  compromisso  dos representantes administrativos em   oportunizar  um crescimento econômico  condizente a terrinha.
Aqui fica a  indignação do eu de mim  diante de mais um rasgo social,  aprofundadas em  feridas abertas do  tudo e do  nada de cada dia.  Respirando  um estado de LUTO ante  um  desastre  dos ventos cotidianos, somatizadas  em problemáticas repetitivas que enterra    o  direito do cidadão brasileiro, a cada agora.
Irane Castro
Sexta-feira, 30-08-2013
São Luís, Maranhão.
 
 
 
 

sábado, 24 de agosto de 2013

"Cosendo hoje's de felicidades...."

“Cosendo dentre do eu de mim, os retalhos de  dores do ontens em  hoje’s  de  felicidades.
Pois, inda por cá  acreditando que linhas  coloridos de  esperançar velhos em novas probabilidades de  enflorar o  tudo e o nada pelo  caminhar do caminho de caminhante do caminho caminhado do  agora, recompõe   emendas  desmedidas  em   colchas de vontades de querer recomeçar a acolchoar o  amor de amar, o meu querer de vida no instante, confinante.”

Irane Castro
Sábado, 24-08-2013

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

"Avizinha-me a solidão comigo mesmo ...."


"Avizinha-me a solidão  comigo mesmo diante do tudo e do nada que assopra no instante do eu de mim .
Por cá, tecendo uma  construção amena de velhas em novas facetas dentro de mim, num florejar do caminho de caminhante do caminho caminhado de ainda recomeçar a reescrever  historíolas  do  agora em tempo de ter tempo de ser feliz no tempo do tempo de viver em tempo de querer tempo para ser uma mulher do tempo de lindas manhas e manhãs de ter tempo de amar o amor noutros amanhãs, pra já."
Irane Castro
Sexta-feira, 23-08-2013
São Luís- Maranhão.

"...salpicos de eu de mim...."




Pretiando assim:
"Somos a resposta exata do que a gente perguntou"
Raul Seixas

 

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

"Irrigando o tudo e o nada de outros parágrafos na historíolas de cada dia."

Foto
"Irrigando o tudo e o nada de outros parágrafos na historíolas do eu de mim, a viver o agora com  meu jeitinho Irane de ser - maluquete e irreverente.
 Inda  reescrever  o florejamento  dos ontens de lágrimas em hoje's com semeaduras de novas vontades, novas alegrias, novos querer, novos recomeçar a ainda, acreditar em lindos amanhãs de esperançar mais uma vez, a amar  o amor dentro de mim a cada dia, imediatamente "
Irane Castro
Quinta-feira, 22-08-2013
São Luís- Maranhão



quarta-feira, 21 de agosto de 2013

"... tentativa de recolorir o hoje's!"

"..no instante as feridas do  eu de mim se intensificam em rasgos de tristeza dentro do coração  banhadas em  lágrimas sentidas  ontens em  hoje's de  sorrisos  reais que escondo  medos, ausências, palavras não ditas e sentimentos estagnados pelos ventos da indiferença, da maledicência  de uns poucos entendidos em leitura d'alma que submerge em conflitos internos e externos   que batem a minha porta .
Por cá, lapidando  mais uma tentativa de recolorir, reinventar e reescrever as faces de velhos em novos amores das historíolas que aprendi com o jeitinho Irane de ser - maluquete e irreverente a  florejar o tudo e o nada por outros caminhos  pelo conhecido caminho de caminhante do caminho caminhado a cada dia, imediatamente." 
Irane Castro
São Luís- Maranhão
Quarta-feira, 21-08-2013
 

terça-feira, 20 de agosto de 2013

"O tempo é tudo..."

Pretiando assim:

Foto
"O tempo é tudo. 
O eu de mim sai tecendo vontades de recomeçar dentro de mim, o tempo do tudo e do nada para valer  apena ainda,  usar o tempo em tempo de ter tempo de viver o tempo, a cada dia."
Irane Castro
São Luís-  Maranhão
Terça-feira,20-08-2013

"..feliz tarde com a poesia de Cora Coralina .."

Pretiando assim:
"Indo nessa feliz tarde com a poesia de Cora Coralina e seus 102 primaveras. Dentre tantas palavras poetizadas do instante, estas descrevem o eu de mim, simplesmente que 'Eu sou aquela mulher que fez a escalada da montanha da vida, removendo pedras e plantando flores em tudo e em nada pelo caminho de caminhante do caminho caminhado de cada dia, do meu agora."
Irane Castro.
Terça -feira, 20-08-2013
São luís- Maranhão.

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Cultivar-me coragem pra amar o eu de mim ...."

" Cultivar-me coragem pra  amar o eu de mim, aproveitando o tudo e o nada  de viver primeiramente,  um ser  gente  no  tempo que me resta  a cada dia, agora."
Irane Castro
São Luís,19 de Agosto de 2013
Segunda-feira
 

"Parabéns Historiador de todo dia"

Foto: Parabéns!!
"Parabéns Historiador. És aquele que descreve o enredo do mundo, das pessoas, das coisas, de muitos por aqui, ali e acolá recontando-reescrevendo-reinventando-recolorindo-redizendo as lições dos ontens em vontades de recomeçar hoje's.
O eu de mim,  diante  de pelejas do caminho de caminhante dos caminhos caminhados aprendeu com o jeitinho Irane de ser- maluquete e irreverente  a  florejar o tudo e o nada de cada dia, por ainda acreditar em manhas e manhãs de novos amanhãs, imediatamente"
Irane Castro.
Segunda-feira, 19-08-2013

domingo, 18 de agosto de 2013

"Adonde aguar as dores do ontem em hoje’s de ser feliz, agora"


“Adonde aguar  no eu de mim, as dores do ontem em hoje’s  de ser feliz agora, imediatamente.”
Irane Castro
Domingo, 18-08-2013
 

sábado, 17 de agosto de 2013

"Desnudando minha alma ...."

 "Desnudando  minha alma das tristezas do ontem em hoje's de tudo e do nada do querer  a cada dia, ainda amar o amor dentro do eu de mim, agora!"
Irane Castro
Sábado, 17-08-2013
São Luís- Maranhão

 

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

"Bordando-me em versos, um dia por vez."

"Agora,  o eu de mim bordando em versos as dores de ontem em  hoje's de alegrias, vontades para recomeçar sozinha comigo mesma e, ainda, faceirando  os instantes de viver o tudo e o nada, um dia por vez, imediatamente"
Irane Castro
Sexta-feira, 16-08-2013
São Luís, Maranhão.

 

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

"....remendando as minhas dores em silêncios de palavras ..."

"Vou-me rabiscando, (re) inventando, (re) criando e remendando  as minhas dores em  silêncios de palavras que escrevinham o tudo e o nada   de ainda  pelejar dentro do  eu de mim, vontades de recomeçar a viver e enfrentar de frente o   que bate a minha porta a cada agora."
Irane Castro
Quinta-feira, 15-08-2013
São luís- Maranhão


 

"A capacidade de suportar, o cada dia”



"Os ontens do eu de mim escrevinha  dores, ausências, ganhos, perdas, sonhos,  pelejas, sorrisos, amizades, amores em alegrias nas   minhas historíolas pelo  caminho de caminhante do caminho caminhado com o jeitinho Irane de ser- maluquete e irreverente de  esperançar hoje's com  vontade de ainda viver dentro de mim, o agora.
Pois, 'só há uma coisa na vida que precisamos aprender, e ninguém ensina isso nas escolas. A capacidade de suportar.'{ Khaled Hosseini - A Cidade do Sol} o tudo e o nada de  ser bem-aventurada a cada dia, logo."
Irane Castro
Quinta, feira, 15-08-2013
São Luís- Maranhão
 

"Brasil, Alice país das maravilhas"

Foto: Curta: Sonhar e acordar com você. & Frases Musicais
"Keilinha, Armaria mermã, nãm é o Brasil, Alice país das maravilhas do tudo e do nada do imaginário.  kkkkkkkkkkkkk"
Irane Castro
Quinta-feira, 15-08-2013
São Luís- Maranhão
 

"Agora deixa-me ser o que eu sou"

"Agora o eu de mim costurando as mágoas em silêncio entendível do tudo e do nada de ainda querer ser feliz sozinha comigo mesma  florejando o caminho de caminhante do caminho caminhado que deixa-me ser o que eu sou a cada dia"
Irane Castro
Quinta-feira, 15-08-2013
São Luís- Maranhão.
 

"....recomeçar ... é fazer tudo novo ."

Pretiando assim:
"Agora o eu de mim carece   florejar  o tudo,  o nada do instante abrangente  que  para 'recomeçar não é fazer tudo de novo, é fazer tudo novo [Sirlei L. Passolongo] de ainda, ser feliz a cada dia, imediatamente"
Irane Castro
Quinta-feira, 15-08-2013


 

"Dona Quinta-feira brilhe no eu de mim, agora"

Pretiando assim:
Foto: "Vamos tomar algumas decisões para o dia de hoje, 
amar sem restrições, perdoar de todo coração
e semear palavras de paz por onde quer 
que a gente vá."
(Sirlei L. Passolongo)
"Dona Quinta-feira brilhe o eu de mim  com muita paz, o agora"
Irane Castro
Quinta-feira, 15-08-2013





 
 

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

terça-feira, 13 de agosto de 2013

"Reiventando a minha arte de ser feliz, a cada instante"

"Reinventando o eu de mim com a arte de  alegrar o meu tudo e o meu  nada de superar as dores em ser feliz  a cada instante, pra já"
Irane Castro
Terça-feira, 13-08-2013
São Luís - Maranhão

 

"....despindo-me das marcas de feridas abertas..."

Pretiando assim:
"....despindo-me das marcas de feridas abertas, sangrentas e  não cicatrizadas dentro do eu de mim.
Inda, acredito na possibilidade  de outros  recomeços  pelo tudo  e pelo nada de ainda amar o amor de hoje a  cada dia, imediatamente"
Irane Castro
Terça-feira, 13-08-2013
São Luís- Maranhão.
 

"... diferença de tratamento hospitalar em terra brasilis"

Pretiando assim:
Foto
"Armaria mermã, nãm quanta diferença de tratamento hospitalar em terra brasilis:
_ Até quando essa vergonha nacional  precisa de tratamento?
_ Até quando minha Ilha do Amor vai também sofrer?
Enfim, cada um senti  na pele  a dor  da falta de saúde e no rosto o  desrespeito de cidadão  a cada instante diante da cara de pau dos governantes como o exemplificado no caso do Dono do Maranhão  e uma simples e anônima indigente, mendigante do SUS, equilibrista  do ser brasileiro a cada dia" 
Irane Castro
São Luís- Maranhão, 13-08-2013
 


 
 

“...apeteço-me recomeçar o hoje, logo.”

Pretiando assim:
“O eu de mim, por cá apeteço-me de  ventos  de vontades do tudo e do nada de coisa alguma que vai se aprochegando  no instante  de permanências em mudanças do  agora.
E, ainda,  recomeçar com o jeitinho Irane de ser - maluquete e irreverente de sair recolorindo as marcas de meus pés cansados,  teimosos e persistentes num  andar de querer, mais  uma vez refazer a colagem das dores  de cada dia pelo caminho de caminhante do caminho caminhado.
Inda florindo cada passo com as  lições de ontens  numa  arte de encantar e reescrever minha alma com letras de dores tristes em  alegria de hoje's de viver  os problemas velhos em novos olhares de esperançar pedacinhos de contentamentos dentro de mim  o hoje, pra logo!”
Irane Castro
São Luís, 13-08-2013
Minha Ilha do Maranhão




domingo, 11 de agosto de 2013

"Cadê o eu profundo e outros eu's?"

Pretiando assim:
"Cadê o eu profundo e outros eu's?"
Irane Castro.
Domingo, 11-08-2013
São Luís- Maranhão

 

"....parabéns ao estudante que existe em cada um."

Pretiando assim:


 "Galerosa querida de ontem e hoje parabéns ao estudante que existe em cada um, todo dia. Sucesso pra ocês sempre, imediatamente"
Um cheiro...
Irane Castro
Domingo, 11-08-2013.
São Luís- Maranhão
 

"Pai és meu tudo, sempre"


"Pai querido és  o meu tudo e o meu nada  de  pessoa amorosa que minimizou tua estadia por cá  florejando sabedoria, paciência e carisma em suas  verdades ditas por palavras marcantes, gestos de carinho, leveza nas atitudes   e olhar de carinho  pelo  tudo e o nada  do cotidiano.
Um herói de filhos de sangue-adoção-de coração, netos, bisnetos, conhecidos que partilharam a sapiência de um pequeno-gingante de amor  para sempre  presente em características físicas, histórias, jeitinho herdado de cada um perpetuar os teus ensinamentos, aviventar    tua personalidade e espelhar teu carisma. 
Igualmente, exemplos   que habitará para sempre em ontens de lições aprendidas que  o eu de mim,  espalha ao   caminhar pelo caminho de caminhante do caminho caminhado  por cá num assoprar  de vontades de recomeçar a colorir em  corações  uma   vida a cada dia do hoje, imediatamente.”
Irane Castro
Domingo, 11-08-2013


 

sábado, 10 de agosto de 2013

"Ou sou tudo ou sou nada"


"Ou sou tudo ou sou nada de viver o eu de mim a cada dia"
Irane Castro
Sábado, 10-08-2013
São Luís- Maranhão
Minha Ilha do Amor

 

"... florejando-me o ficar sozinha comigo mesma"


"... florejando-me  o ficar sozinha comigo mesma na tentativa do eu de mim de ir por cá, desacelerando as lições dos ontens em hoje's de vontades de recomeçar a esperançar novos começos  cada dia, imediatamente."
Irane Castro
Sábado, 10-08-2013
São Luís- Maranhão
Minha Ilha do Amor

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

" açambarcar o meu agora ..."

Pretiando assim:

"Largo-me o eu de mim, a açambarcar   o meu agora quão  provida de necessárias lições dos ontens em hoje’s de  permanências em mudanças pelo  caminho de caminhante do caminho caminhado florescendo   o esperançar de vontades de recomeçar o  tudo e o nada  a cada manhã de lindas manhas e manhãs de outros amanhãs sempre, imediatamente."
 Irane Castro
São Luís, 09-08-2013
São Luís- Maranhão
 

"...florecer o ser feliz, a cada agora..."

Pretiando assim:
"Vivendo o eu de mim, num  caminhar de caminhante do caminho caminhado que vai florecendo  o tudo e o nada  de esperançar o  ser feliz a cada agora, pra hoje."
Irane Castro
09-08-2013
São Luís- Maranhão
Minha Ilha do Amor.
 

"ainda não quero acreditar que inocência infantil está despedaçada..."

"Até quando vai ser suportável esse filme de horror da vida pública  que dilacera a vida privada?
Ou  apenas, mais um casinho de brutalidade para listar de atrocidades e acúmulo de incompetência governamental em terras brasilis?
Palavras inexiste no agora para o eu de mim  somatizadas em dor acunheada em   letras que descrevem o propagar de  mais uma cena de realidade pavorosa  de destruição familiar - quem se foi e quem ficou -  condicionada  a ações  maldosas e pavorosa encenação crucial da perda de credibilidade no ser humano.
A cada momento, mentes doentias surgem em qualquer idade, espaço e degrau social. Atemorizante   reações de medo do tudo e do nada que aguarda a cada esquina, a cada amanhecer, a cada anoitecer, a qualquer um e outro que atrevesse o caminho de caminhante do caminho caminhado de cada um.
Ainda florejo na estrada cotidiana uma peleja de construto de uma vida melhor,  no sorriso amigo, abraço carinhoso, na inocência infantil, dialogar para ser compreendido. Igualmente, desconheço esses atos humanos demoníacos. 
No entanto, quero ainda acreditar que esse demônio- garoto que estão evidenciando em provas periciais não seja o real culpado. Pois, são muitos indícios de provas tão arrumadinhas que podem estar escondendo os reais culpados.
Vejo no instante, o  desenho dum retrato triste de cenas cotidianas.
Também, inquiro 'que a verdade seja dita' (Ig).
Inda que  comprovada a culpabilidade desse garoto, sucinta a inocência infantil   despedaçada. Caso seja comprovada a implantação de provas para encobrir o real estrago de quem é orientado para proteger o cidadão, lascou-se o Estado diante de tanta barbárie a cada dia.
Se lixando será a situação  de mudanças em permanência de  justiça injustas e desmedida,  da violação familiar ameaçada por quem pensa em desmascarar as facetas da polícia-bandida  que marginaliza e esmigalha o esperançar de uma  sociedade."
Irane Castro
Sexta-feira, 09-08-2013
São Luís do Maranhão

 

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

"dúvidas diante de mais um, episodio de filme de horror real."

Pretiando assim:

Foto

 “As feridas sociais dilaceram o eu de mim numa dor aprofundada, descritiva e descrente diante das barbáries cotidianas.  Outra vez, indago aqui, ali e acolá o que induz  a  atuação  do trucidar humano, como  o exemplificado   entre os dias 04 e 05 de Agosto, Bairro Vila Brasilândia (Zona Norte de São Paulo) que  massacrou  a família  Pesseghini   (pai, mãe, filho, avó e tia-avó)  numa  ação inexplicável  que revogou a vida desse núcleo familiar e suprime a vergonha os demais  membros perante a imposição da culpabilidade a uma criança de 13 anos.
Como culpar sem investigar? Como pais diante de uma profissão de risco não contrapuseram essa criança franzina? Por que transformar um garoto num demônio? Quem depõe contra o menino não mostra a cara? Por que a polícia julga e apresenta veredito   para um ser que não pode se defender?
Diante de tantas injustiças da justiça brasileira  vejo  provas criminais plantadas para encobrir algo errado, investigado e quem sabe a caminho de denuncias por esses militares calados  a boca para sempre , uma  resposta mais plausível.
Apeteço erros de um e tantos lados. A maldade e o planejar de detalhes fúnebres me leva a lágrima dilacerantes em intuir  a chagas sociais  sujeitados as banalidades corriqueiras de grupos de extermínios que jogam para outrem a carga de responsabilidade.
Inda, acalento a   força da dúvida desse episodio de filme de horror real. Abrevio   dentro de mim   um  descrer de tudo e do nada dessa  infração delineada por um  guri caracterizado como dócil, amigo e querido por seus entes queridos. ”  
Irane Castro
Quarta-feira, 07-08-2013
São Luís- Maranhão
Minha Ilha do Amor.
Eu gosto do impossível,
tenho medo do provável,
dou risada do ridículo e choro porque tenho vontade,
mas nem sempre tenho motivo.
Tenho um sorriso confiante que as vezes não demonstra o tanto de insegurança por trás dele.

Sou inconstante e talvez imprevisível.
Não gosto de rotina.

Eu amo de verdade aqueles pra quem eu digo isso,
e me irrito de forma inexplicável quando não botam fé nas minhas palavras.
Nem sempre coloco em prática aquilo que eu julgo certo.
São poucas as pessoas pra quem eu me explico...

Bob Marley