terça-feira, 28 de maio de 2013

“Danço-me por cá os compassos do eu de mim"

“Danço-me por cá os compassos do eu de mim travando batalhas diárias  para caminhar o caminho de caminhante do caminho caminhado   por pés imutáveis, obstinados e acentuados nas lágrimas em sorrisos enflorando o impossível do possível pela vida com  vida e por vida com o jeitinho Irane de ser - maluquete e irreverente  de enfeitar o nada do nada e tudo do tudo  das dores, das lágrimas, das ausências em  vontades de recomeçar dentro de mim. De tal modo,  mais uma vez  saciar  o apetite de vivência no mundinho infinitamente particular amoldável    a janela do meu olhar sobre o mundo carecido de um esperançar de   paz-amor-fé   e  de permanências em mudanças  de ontens em hoje's de alegria do querer no meu agora ,  manha e manhãs de outros amanhãs plausível,  ainda de um mundo melhor, pra já."

 
 Irane Castro
Terça-feira, 28-05-2013
 

domingo, 26 de maio de 2013

""Você é aquilo que ninguém vê"

Pretiando assim:
" O eu de mim equilibra  lágrimas de ontens em sorriso de hoje's  num  construir de aprendizagens do agora. Como diz Machado de Assis 'você é aquilo que ninguém vê, uma coleção de histórias, memórias, dores, delícias, pecados, bondades, tragédias, sucessos, sentimentos e pensamentos. [...]  um eterno parênteses em aberto, enquanto sua eternidade dura.'
Ai meu caro, afirmo-lhe que és uma verdade única, pois dentro de mim coleciono nada do nada e tudo do tudo que senti-calei-perdi-ganhei-deixei-apaguei-somei e  enfeitei com flores. Como sou teimosa, batalho   o não em sim e o   impossível em possível  com o jeitinho Irane de ser-maluquete e irreverente  de redescobrir novas flores, novos atalhos  por caminhos de caminhantes do caminho caminhado que   insisto em percorrer dentro de mim para encontrar outros caminhos.
Saio aqui e ali  travando as batalhas por vida em vida e pela vida   cotidiana  num reescrever de novos finais para o inicio e meio das historietas  que uso como escudo de  proteção no mundinho infinitamente particular contra o mundão acreditando ainda num mundo melhor,  além de recomeçar a tecer o minuto do agora com vontade de viver o momento como se derradeiro fosse ou primeiro de cada dia, logo"
Irane Castro
Domingo: 26-05-2013
 
















 

"[....] equilibrar o impossível em possível, pra já"

Pretiando assim:

"O agora do  eu de mim em ontens de aprendizagens em hoje's de vontades de recomeçar a esperançar um mundo melhor reescrevendo o caminho de caminhante do caminho caminhado dos pés cansados a procura de um cantinho feliz no agora  num  equilibrar  do impossível em possível do tudo e do nada de viver em paz, pra já"
Irane Castro
Domingo: 26-05-2013



 

"[....] a vida começa todos os dias"

Pretiando assim:
"O eu de mim aprendeu entre  um tudo e um nada dentro de mim que 'a vida começa todos os dias' [Érico Veríssimo] ao lado do AMOR  compartilhado, repartido, somado, multiplicado, dividido e  diminuído de agora's que ensinam a acreditar ainda no outro com respeito, admiração, valorização de um  sentimento profundo e sentido como lições de ontens em hoje's do impossível em possível amar e ser amada a cada dia, imediatamente"
Irane Castro
Domingo: 26-05-2013  

 

"Vale a pena sacudir o ontens em hojes de amanhã, agora..."

Pretiando assim:

"Vale a pena o eu de mim aqui, ali e acolá sacudindo os  ontens em hoje's de amanhã, agora..."
Irane Castro
São Luís  do Maranhão - Ilha do Amor
Domingo, 26-05-2013







 




quinta-feira, 23 de maio de 2013

" [....] o esperançar de um viandante ..."

Pretiando assim:

"Estou-me o eu de mim um experienciar do caminho de caminhante do caminho caminhado que peregrina com o jeitinho Irane de ser - maluquete e irreverente as aprendizagens de ontens em hoje's     como  escrevente  do tudo e do nada de coisa alguma dentro de mim, num constante reflexão-prática   sobre quem sou nesse mundo de ausências    carecido  de cheganças   e de vontades de restaurar  o esperançar  de  um viandante  que  esquadrinha  a mim mesmo  por ai, florindo a  estadia no mundinho infinitamente particular de querer permanências em mudanças  de manhãs e manhãs de outros horizontes de paz, como  força construtiva de um mundo melhor, logo"
Irane Castro
Quinta-feira, 23-0513

 

'Solte todas as amarras que impedem de ser feliz. [....]."

Pretiando assim:
"O eu de mim brincou com o tudo e o nada como armadura contra as dores da vida que enfeitei as tristezas em lindas gargalhadas, expulsando as ausências  em queridas cheganças, de reescrever inicio-meio-fim de historietas que bordei em versos com o jeitinho Irane de ser  - maluquete e irreverente de ver e sentir o mundão. Apreendi  com o jeitinho Irane de ser – maluquete e irreverente  na labutação irromper  completamente as amarras      e viver como pessoa bem-aventurada, enxergando o outro em respeito, amor e esperança  de ser feliz aqui e ali.  De tal modo, fazer acontecer de vontades de recomeçar mais e mais vezes a  realçar o meu  mudinho infinitamente particular de viver   ontens em outros  hoje's de  construto  de lindos amanhãs, prontamente."
Irane Castro
Quinta-feira, 23-05-2013



 

"...por onde andei chore em estado feliz!"

Pretiando assim:
"… ontem por onde andei.
Reescrevi a minha historieta.
Com o jeitinho Irane de ser.
Bem maluquete e irreverente.
Carreguei o tudo e o nada de ontens.
Pelo caminho de caminhante do caminho caminhado.
Deixado em marcas de pés cansados.
Tão persistentes e instigantes.
Na estrada de redescobrindo detalhes.
Sem pressa e sem pressão.
Renovei o desvio do agora’s.
Onde aprendi o nunca desiste.
Semeando tristezas em estado feliz.
Cultivando medo em   paz.
Florindo amor, fé em manhas.
Para vez de novo amanhã.
10mais horizontes do mundinho infinitamente.
Bem particular como ponte do mundo real.
E de mais viDA.
Imediatamente, pra já, logo – em hoje’s!”
Irane Castro
Beco da Preta
São Luís-Maranhão







quarta-feira, 22 de maio de 2013

'[...] o poder de demonstrar um gesto de ternura"

Pretiando assim:
" Catando aqui e ali ares de viver que o eu de mim  dentre ontens e hoje's propague manhas e manhãs  de horizontes reais, imediato  'que eu envelheça... Que na minha pele, possam surgir todas as possíveis rugas. Mas, que meu coração, jamais fique indiferente ao amor. Que eu nunca, perca o poder de demonstrar um gesto de ternura' (Raquel Free) para enfrentar cada dia com vontades de recomeçar novos florir para o caminho de caminhante do caminho caminhado por pés cansados e doloridos em coragem e vigor de acontecer objetivos e outras descobertas de novidades na estrada da vida  que enfeita meu  mudinho infinitamente particular ponte de enfrentamento do  mundão do agora carente de abraços,  de carinhos e olhar de querer acreditar do impossível por possível viver de paz, pra já
Irane Castro
Terça- feira, 22-05-2013



 

"A vida é curta [....]"

Pretiando assim:
"O Comedimento do eu de mim  entre  ontens em hoje’s   aprendeu que a 'vida é curta. Quebre as regras, perdoe rapidamente, beba lentamente, ame verdadeiramente, ria incontrolavelmente e nunca se arrependa de nada que te faça sorrir' (Anônimo). Mas,  reutilize essas   aprendizagens para  ser construtor de outras vontades de  recomeçar um esperançar de  permanências em mudanças  do tudo e do nada dentro de mim em horizontes reais, imediatamente".
Irane Castro
Quarta-feira, 22-05-2013 


terça-feira, 21 de maio de 2013

" [...] é preciso dar um grito pela janela, esvaziar os pulmões [...]"

Pretiando assim:
"Tantas vezes o eu de mim equilibra o tudo e o nada de alguma coisa para vencer as batalhas cotidianas  que travei com o jeitinho Irane de ser- maluquete e irreverente  de recontar-recolorir-reescrever e reinventar  a história minha com inicio-meio-fim, pois entendi que 'muitas vezes é preciso dar um tempo na vida, desacelerar, anestesiar a realidade, (....) ainda é preciso dar um grito pela janela, esvaziar os pulmões. Voltar à estaca zero, recomeçar' (Anônimo), pois  as lições do ontem em hoje de aprendizagem necessária para o construto  individual para o coletivo um mundo  infinitamente particular de paz, irradiador de mundos e mundo melhor, agora.
Irane Castro
Terça-feira, 21-05-2013




"Não sei aonde vou, mas já estou a caminho."

Pretiando assim:
"Estou entre o tudo e o nada do eu de mim, 'não sei aonde vou, mas já estou a caminho'[Carl Sandburg] de florir o caminho de caminhante do caminho caminhado que os meus pés desfilou   pela estrada de ontens em hoje's superando  descida, subidas, tombos, cansaço, dores, desvios, o não chegar num ponto e continuar tudo outra vez com vontades  de recomeçar mais uma vez  a disposição de enfeitar o caminho do agora a cada dia, prontamente."
Irane Castro
Terça-feira, 21-05-2013
 

"Vou bordando o eu de mim de verso em versos [...]"

Pretiando assim:

"Vou bordando  o eu de mim de  verso em versos de tudo e do nada de ontens em hoje's de  um esperançar de vontade de recomeçar a reescrever a história do meu mundinho infinitamente particular  que  com o jeitinho Irane de ser - maluquete e irreverente  de recolorir  cotidianamente  inicio, meio e outros finais da minha historieta  de  louca-doida-esquisitaça  de agregar  lutas, dificuldades, perdas, sofrimentos, aprendizagem, recomeços como  temperos de uma saborosa vitória em pétalas de bem querer um mundo melhor a cada dia, pra já."
Irane Castro
Terça-feira, 21-05-2013


 

"...enfrentei tantos nunca desanimo!"

Pretiando assim:
"... contabilizo o tudo e o nada de muitos caminhos que andei sem saber a direção, enfrentei momentos que com  tempestade e a lágrima, dores e sorrisos, ausências com um esperançar de cheganças de um dia dizer  'superei tantas coisas. Enfrentei tantos gigantes. Gastei tempo pensando, tentando, caindo e levantando. Recomecei incontáveis vezes. Sonhei e pouco realizei. 
Naufraguei em dúvidas .
Não tirei de letra, mas fiz um esforço enorme para aceitar o que eu não podia mudar. Vivi todos os inicios e sobrevivi aos finais. Só não me peça para entender as indiferenças" [Ita Portugal]', pois o meu jeitinho Irane de ser - maluquete e irreverente reescreveu o meio da história do meu eu  com ontens em hoje's para um novo amanhã de cada dia, imediatamente.
Irane Castro
Terça-feira, 21-05-2013

"'[....] eu sou assim, meio esquisita"

Pretiando assim:
"A cada dia o eu de mim utiliza o tudo e o nada de ontens em hoje's, pois, 'eu sou assim, meio esquisita, muito romântica, um pouco atacada, nada perfeita e um tanto dramática' (Anônimo). Mas, o jeitinho Irane de ser - maluquete e irreverente de enfrentar  um esperançar de  muitos  caminhos para o caminho de caminhante do caminho  caminhado por meus pés de andarilha  entre choros, alegrias, tristezas, dores, ausências, exageros, deficiências e principalmente  agendar  corpo e a mente  para ser saudável diante de tantos malefícios que aprendi a reescrever outros  finais para o inicio e meio  da minha história.
E ainda colorir de paz-amor-fé-vontades de recomeçar a tecer  jardins no ambiente do meu mundinho infinitamente particular, com esquisitices de uma louca-doida que nunca olha  o invisível-impossível-difícil de coisa alguma dentro de mim. Enxerga  no visível possível   de reconstruir  o agora de permanências em mudanças de outros amanhãs de novo, de novo e de novo, sempre"
Irane Castro
Terça-feira, 21-05-2013


 

'Silêncios do eu de mim'

Pretiando assim:

"Silêncios do eu de mim  ensinam a equilibrar  o tudo e o nada dentre de mim como escudo protetor ao meu olhar de mundo a cada dia"
Irane Castro
Terça-feira, 21-03-13
 

 

segunda-feira, 20 de maio de 2013

"Eu sou assim, ligada na tomada [....]"

Pretiando assim:
"Vivo-me o eu de mim numa constante ebulição do tudo e do nada do nada e do tudo dentro de mim, 'eu sou assim, ligada na tomada. Sempre querendo encontrar uma razão pra tudo. Pessoas como eu sofrem mais. Se decepcionam mais'{Martha Medeiros} e inventam mundinhos infinitamente particular para enfrentar o mundão lá fora. Por isso, o  meu jeitinho Irane de ser - maluquete e irreverente ajuda-me a pintar com cores de alegrias o caminho de caminhante do caminho caminhado que meus pés teimam em enfrentar a estrada do meu eu dos ontens em hoje's de vontades de recomeçar amanhã de paz, de novo e de novo, sempre.
Irane Castro 
Segunda-feira, 20-05-2013


 

"[...] preciso de paciência porque sou vários caminhos [...]"

Pretiando assim
"Vou-me o eu de mim cavoucando saídas do tudo e do nada do meu hoje, pois 'tenho  que ter paciência para não me perder dentro de mim: vivo me perdendo de vista. Preciso de paciência porque sou vários caminhos, inclusive o fatal beco-sem-saída' [ Clarice Lispector],que enfeito com o jeitinho Irane de ser - maluquete e irreverente  de esperançar o caminho de caminhante do caminho caminhado que meus pés percorre num florir dessa estrada cotidiana com  as lições do ontem em aprendizagens de paz no agora.
Irane Castro
Segunda-feira, 20-05-2013
 

"Enquanto estiver viva, sinta-se viva!"

Pretiando assim:

"Quero-me o  eu de mim sentir o tudo e o nada das lições do ontem com alegrias de hoje para um esperançar de permanências  em mudanças de viver  'enquanto estiver viva, sinta-se viva' em novos  amanhãs  a cada dia' imediatamente "
Irane Castro
Ilha do Amor - São Luís do Maranhão
Segunda-feira, 20.05.2013
 


 

domingo, 19 de maio de 2013

"[...] o eu de mim por ai a perfumar o hoje de cada dia"

Pretiando assim:
"Ando-me o eu de mim   sem pressa por nada  e por tudo, pois vou tecendo com o jeitinho Irane de ser - maluquete e irreverente um  equilibrar as ausências em  cheganças, tristezas em  sorriso  e a  perfumar os meus ontem com novos cheiros de amanhã  num esperançar de  vontades para  recomeçar a semear  novas cores na estrada de caminhante do caminho caminhado por meus pés a estrada do sempre que reescrevo o inicio, o meio e o final com as letras do impossível em possível,  de derramar luz, abraços  sinceros, carinhos dados e muitas cores  que aplico nos meus dias outrora cinzas  que reinventando cato daqui e dali detalhes para   ser feliz   e fazer meu mundinho infinitamente particular como ponte para um mundo melhor e sair por ai, a perfumar o hoje de cada  dia, pra já. "
Irane Castro
São Luís (MA)- Minha Ilha do Amor
Domingo, 19-05-2013
 

"Amores serão sempre amáveis"

Pretiando assim: 
"Vou-me  o eu de mim a  cavoucar dentro de mim a certeza de que 'amores serão sempre amáveis" [Chico Buarque] vindo de ontens em hoje's de permanências em mudanças do  num agora de ser feliz, já."
Irane Castro
São Luís (MA): Ilha do amor
Domingo: 19.05.2013





 

'[....] tem gente que tenta ser, tem gente que nasce sendo"

Pretiando assim:
"O adereço   do eu de mim  instruiu  a contrapesar o tudo e o nada  de coisa alguma, pois 'tem gente que tenta ser, tem gente que nasce sendo'[Fernanda Carolina] . Como não sei onde me enquadrar reinvento meu mundinho  infinitamente  particular  com o jeitinho Irane de ser-maluquete e irreverente de reescrever-recolorir-recontar-reaprender-reviver  o caminho de caminhante do caminho caminhado da minha  história aonde  aprendi  a experimentar as dores do ontem com um lindo sorriso no hoje, adornar as ausências  com cheganças, a esperançar o não com sim, a deixar acontecer  novas  vontades de recomeçar o impossível em possível no agora e acreditar que  ao lutar para incidir  mudanças em permanências    o amanhã  é  prontamente."
Irane Castro
São Luís (MA): Ilha do amor
Domingo: 19.05.2013



"[....]entre o agora e o nunca de cada dia"

Pretiando assim:
“Estou-me  o eu de mim entre o agora e o  nunca de um tudo e um nada de qualquer coisa por acreditar ainda possível aprender com as lições  do ontem,  de um sorrir no hoje de vontades de viver pequeninas manhas e grandes  manhãs de lindos amanhãs de cada dia, imediatamente."
Irane Castro
Meu mundo dos L's - letras, leituras  e livros.
São Luís (MA): Minha Ilha do amor
Domingo, 19.05.2013 

 

sábado, 11 de maio de 2013

"[...] um faroeste instante, hoje's!"

Pretiando assim:
“…essa  lágrima que teima em cair  pelo desrespeito ao outro,  que se perdem por coisa alguma.
É  o interromper de  vivência. Espalha dor da perda, a lacuna da desesperança e o aumento das grades da impunidade que enjaula-nos em medos de tudo.
Esse temor do outro adoece meu ser.
Acelera minha pressão arterial em sentir angústia.
Começo a chorar dor sentida pelas barbáries cotidianas.
Saber o outro refém pela falta de  justiça,  quer punitiva quer corretiva. Vez que coibir, apenas acelera um faroeste pela vizinhança minha, nossa, de todos no meio do tudo e no meio do nada de norte a sul da terra brasilis, a cada dia.
Até quando?
Irane Castro
São Luís do Maranhão - Ilha do Amor
Sábado: 11.05.2013

"Eu rabisco o sol que a chuva apagou."

Pretiando assim:

"O  eu de mim  procura no tudo e no nada no meio de tudo e no meio de nada pelejas pela vida em que 'eu rabisco o sol que a chuva apagou' [Renato Russo] para uma vida com vida em ensinamentos do ontem  para  recomeçar o agora com vivência lindas manhãs de outros amanhãs."
Irane Castro
Meu mundo dos L's - letras , leituras e livros.
São Luís do Maranhão - Ilha do Amor 
Sábado: 11.05.2013
 

 

"[...] devagar sem pressa "

Pretiando assim:


"Estou-me o eu de mim a esperançar um tudo e um nada  de coisa alguma de ontens que andei devagar sem pressa de chegar no hoje de permanências em mudanças  com vontades de fazer acontecer o agora diferente de tudo que entristece-me.
Para tanto, reescrevo  a minha história com o jeitinho Irane de ser - maluquete e irreverente de  granjear o  mundo com  alegria de cheganças sobre as dores da vida que tenho de tolerar e enfeitar de vontades de recomeçar  a colorir o caminho de caminhante do caminho caminhado  que aprendi que 'não sou para todos. Gosto muito do meu mundinho' [Caio Fernando Abreu]  infinitamente particular  de afrontar os enigmas, as ansiedades, as pelejas, as conquistas, as exultações  a cada dia, prontamente.”
Irane Castro
Meu mundo dos L's _ letras, leituras e livros
São Luís do Maranhão - Ilha do Amor
Sábado: 11..05.2013

quarta-feira, 1 de maio de 2013

" [...] ingerindo uma aragem ..."

Pretiando assim:


"Estou-me o eu de mim no agora ingerindo  uma  aragem no meio do tudo e do nada  de alguma coisa um renovar   da minha fé  e absorção de paz interior para que consiga ainda olhar   o meu 'cotidiano brasilis'  e esperançar uma sociedade melhor tecendo empenhos para afrontar as dores em superação, enxugar as lágrimas em sorrisos, pois ainda acredito que 'ou nos conformamos com a falta de algumas coisas na nossa vida ou lutamos para realizar todas as nossas loucuras' {Mário Quintana}. Assim apelo  para o  jeitinho Irane de ser maluquete e irreverente de manter   reinventando, reescrevendo e enfeitando   meu  caminho de caminhante do caminho caminhando de um mundinho infinitamente particular de encarar permanências em mudanças de um viver melhor a cada dia, logo.

Irane Castro

São Luís do Maranhão – Ilha do Amor

Quarta-feira, 012-05-2013



 

"Maio avizinhe-se do eu de mim..."

Pretiando assim:

"Maio avizinhe-se   do eu de mim, com bel-prazeres de recomeçar   o tudo e o nada de saber conviver o  momento do aqui e do agora  dentre lições do ontem em novo hoje, ainda possível de acreditar em paz, fé e justiça a cada dia, prontamente"
Irane Castro
São Luís do Maranhão – Ilha do Amor
Quarta-feira, 01.05.2013

 

Eu gosto do impossível,
tenho medo do provável,
dou risada do ridículo e choro porque tenho vontade,
mas nem sempre tenho motivo.
Tenho um sorriso confiante que as vezes não demonstra o tanto de insegurança por trás dele.

Sou inconstante e talvez imprevisível.
Não gosto de rotina.

Eu amo de verdade aqueles pra quem eu digo isso,
e me irrito de forma inexplicável quando não botam fé nas minhas palavras.
Nem sempre coloco em prática aquilo que eu julgo certo.
São poucas as pessoas pra quem eu me explico...

Bob Marley