domingo, 29 de julho de 2012

[...] peregrina das palavras, pensamentos e indagações


Pretiando assim:
 Uma faixa estrelada, acompanhada de um lindo brilho da lua é o que vejo da varanda, além do sossego no  vai-vém do balanço de uma rede na varanda  da casa.
AQUI estou a sentir  o cheiro de  flores, plantas, árvores e mato que enebriam a viagem literária  e instigante  de "enterrem  meu coração na curva  do rio - a dramática  história dos índios  norte-americanos" (Dee Brown). Caminhando entre o original, o memorável e comovedora história do homem americano que trilha  entre o achismo e a cientificidade do ameríndio, sua saga e decréscimo civilizatório.
Uma parada básica para descansar a vista, passar  repelente, contabilizar mentalmente o término das férias, fazer a contagem regressiva para volta aos afazeres professoral - caderneta, provas, notas, aulas, etc. - e o retorno ao pelourinho diário.
É preciso memorizar esse silêncio da calma aparente do quilombo familiar, respirar  esse ar de tranquilidade e guardá-lo como força para enfrentar os caos urbano que me espera. 
Pelos poderes dos céus, dos deuses, dos caminhos mágicos dos livros "sou eterna viajante do mundo das letras!!
Sou  peregrina das palavras!!
Sou caminhante dos paragráfos!
Sou eterna sonhadora!
E sou  amante das  páginas de um livro, "tenho sempre um pouco de amor guardado no bolso. Na dúvida, espalho amor...posso não recebê-lo em troca, mas tenho a certeza de que um pouco dele ficará por onde eu for.", palavras entre aspas  de Ana Azevedo que traduz  que SOU   pensamentos,  indagações e preciso de tranquilidade para pensar, recuperar as energias para concretizar esses sonhos e transformá-la em vontade férrea de MUDAR a realidade nua e crua.
Clarissimo que sozinha não  posso mudar o MUNDO. Mas,  o MEU MUNDO posso mexer/remexer, inventar/reinventar, colorir/descolorir indo e  vindo entre as degustações literárias por aí, forças para lutar  para ter UM MUNDO MELHOR aqui, alí e acolá.
Irane Castro (29.07.12)

sexta-feira, 20 de julho de 2012

[...]minha fiel, solidária e companheira Dona dor de cabeça [...]

Pretiando assim:
Eu digo"oh, como sou esquecida".
Não cumprimentei   minha fiel, solidária  e companheira Dona dor de cabeça .
No entanto, Ela não esqueceu de fazer uma visitinha básica nessa data marcante e celebrante de AMIZADE. 
Uma dorzinha chata que vai esquentando conforme as horas. A noite chegou e percebo que a mesma vai permanecer.
Puts tomei mais um remedinho, me resta deitar e esperar a visitante  cansar e  ir embora.
Euzinha vou chorar na cama , lugar quente!!
Irane

[...] respeito ao outro como a definição mais simples que traduzo em a amizade"

Pretiando assim:
Liguei o rádio e escuto de primeira "Canção da América (letra Fernando Brant e Milton Nascimento)em homenagem ao dia do amigo. Até o final da  mesma,  uma sucessão de lembranças dos amigos que colecionei por ai, veio a mente "[...] Amigo é coisa para se guardar no lado esquerdo do peito  [...]". Eu vou dizendo por ai que entre sorrisos,brincadeiras, lágrimas, probleminhas aqui/ ali  [...] .Quando Milton diz "[..] mesmo que o tempo e a distância digam “não” [...]". Euzinha vou afirmando "[...] em conversas compartilhadas,no ombro fui colecionando amigos, uns mais chegados, outros menos próximo e as vezes quilometros a nos separar [...]". Ele diz "mesmo esquecendo a canção o que importa é ouvir a voz que vem do coração [..]. Conto eu assim " escutei meu coração e cultivei respeito ao outro como a definição mais simples que traduzo em a amizade" [...]. Mais uma vez, cantarola  a canção "pois seja o que vier, venha o que vier [...]." Continuo a declaração "aprendi que amigos se escolhe. E que a verdadeira permanece por longos séculos amém. Exagero a parte, o gosto da amizade traduz na pureza da alma um amor gostoso de sentir. [...]". A cantiga dialoga assim, "[...] qualquer dia, amigo, eu volto a te encontrar, qualquer dia, amigo, a gente vai se encontrar.”. Vou enxugando as lágrimas ao recordar  cenas vivênciadas com amigos-irmãos ou irmãos-amigos, abrindo um grande sorriso nesse dia especial, celebrante ao AMIGO e  sem citar nomes  para não magoar outros que por ventura esquecer, desejo de coração aos amigos (as) de ontem, hoje e sempre ZILHÕES de parabéns por este elo gigante construido entre os caminhos da vida!!!

 Irane Castro(20.07.12)


 


 

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Pensando no meu ontem: desejo, pecado,quebra da dieta ou apenas uma vontade???

Pretiando assim
Imagine uma tarde chuvosa,   fria e o convite  irrecusável de levantar da cama   macia, já que estava em boa companhia de travesseiros, cobertas quentinhas além  dos caminhos viajantes da nova leitura que estava a saborear. Tudo isso, induzindo a curtir a peguiça cada vez mais  e mais.De repente senti o cheirinho de café forte que vinha da casa vizinha e foi  entrando por minhas narinas,. Lembrei de um ditado que diz " o pecado mora ao lado". Verdade ou não, foi a gota d'agua que faltava para se avolumar e explodir na minha cabeça a vontade de comer OVO FRITO COM FARINHA! 1,2,3,4,5,6,7,8,9,10... zilhões de vezes  tentei deletar a idéia que estava  me consumindo.Desejo? Pecado? Quebra da dieta?Não sei dizer  o que era? Mas, o que foi mesmo é saborear o gosto da infância, das traquinagens de adolescente, que não se preocupava com dieta (era magra de doer), dos banhos na chuva, de observar a algazarra de irmãos e primos que sabiam encontrar mil e uma estripolias para aproveitar o tempo, das panelas da Vô Joana que sofria com as invenções  e a imaginação que corria frouxa ao ouvir nesses momentos as historinhas contadas/inventadas  dos livros que já degustava.
Uma iguaria simples, deliciosa e nutritiva que a PVC (Porra da Velhice Chegando) já não me deixa compartilhar com mais frequencia e ficar a pensar se cometir excessos. Dessa vez, SEI que Matei a vontade!!  Cometi pecado! Quebrei a dieta!! Satisfiz o desejo!!
As consequências depois veremos!!
Irane Castro
(19.07.12)

quarta-feira, 18 de julho de 2012

[...] um estado emocional agradável, pós-leitura.

Pretiando ass
Voltar a realidade!!
Karambas, minha hiperatividade sempre fala mais alto, ai preciso 2 leituras no minimo e ao mesmo tempo para tentar uma viagem-agradavel.
Mas, ontem (17.09) fui fundo na leitura, aproveitando uma tarde de chuva, frio gostoso, lençóis e traveseiros convidativo para  uma viagem entre as palavras. Deliciei-me com momentos agradáveis para terminar as conversas com mágicos, malabaristas, tratadores de animais e dramas  humanos de um circo. Exercitei  a mente  com cenas reais de "água para elefantes" de Sara Gruen deixei a imaginação solta e vivenciei cada paragrafo, sentido o sabor das páginas e assim degustei uma leitura gostosa, leve e instigante sobre a memória/lembranças. O maior espetáculo da terra é a vida. Uma lição aprendida com as tramas ficcionais da autora que enaltece a superação de dificuldades, de respeito ao outro e principalmente como a manutenção da idade mental saudável proporciona a alegria de ser mesmo quando muitos janeiros te pesam às costas e falta OUTRO (S) para escutar/valorizar/prestigiar.
Fiquei extasiada com o Grande Final que mostra como ainda têm Um (ns) ainda por ali, aqui e acolá a te valorizar como ser humano.  Estou em estado de emocional agradavel, pós-leitura. 
Irane (18.07.12)
Mas, é preciso encarar uma nova viagem!!








segunda-feira, 16 de julho de 2012

Tentei, não deu! Nem mesmo, um muito obrigado!!

Pretiando assim
Como canta o rei "Quem espera que a vida. Seja feita de ilusão. Pode até ficar maluco. Ou viver na solidão. É preciso ter cuidado. Prá mais tarde não sofrer. É preciso saber viver...[...].
Realmente "é preciso saber  viver. Ai, tenho que aprender a controlar essa dorzinha que incomoda no momento - fracasso.Tentei, não deu! Nem mesmo, um muito obrigado!! Fiquei triste. Mas, a vida é de luta. Tudo tem que continuar. Não posso desanimar, pois de batalhas em batalhas é que vou adquirindo forças para enfrentar a guerra maior - A VIDA.
Abaixo um exemplo que não sei poetizar. Mas, continuarei a escrever o que sinto, por aqui, ali e acolá...Tema: A fada - madrinha real: o começo de começar a saborear os livros e ação de professorar
As histórias contadas para as crianças sempre começa com “Era uma vez....”, uma senha para o mundo mágico das palavras, viagens imagináveis, situações reais e o universo de curiosidades que fica povoando a imaginação infantil.Igualmente, essa aqui começa assim,era uma vez uma menininha chamada Joana que desde cedo deixava a imaginação fluir entre animais de estimação, subir em árvores, brincar de balanço, banhar em rio no fundo do quintal entre tantas outras diversões na casa-sítio que dividia com seus familiares.
No entanto, diferentemente das demais crianças da casa que brincavam demais - tudo era bom para eles - a garotinha magrela além de alguns probleminhas de saúde, apresentava no olhar interrogações; na boca tinha sempre um por que, como, onde, quando; e ouvidos em sucessivo estado de alerta a espera de respostas, para como mudar isso ou aquilo, em situações que cercam o cotidiano de uma criança de bairro periférico de uma cidade interiorana qualquer.
Com indagações daqui e dali, Joana tirava a paciência dos adultos, ganhou a implicância dos mais novos, começou a refugiar-se na imaginação com os “amiguinhos invisíveis”, ficar arredia e medrosa, uma preocupação familiar. Como nos contos infantis, de repente com uma palavra ou “um passe de mágica”, a solução foi encontrada de forma simples, surge a Tia-madrinha Amélia, que levou a garotinha para sua casa para passar uma temporada. A mudança era apenas para a casa em frente (todos na rua eram parentes) e, nesse arranjo familiar, desperto numa casa-mágica recheada de livros, que todos os irmãos, primos, coleguinhas compartilhavam, mas a partir daquele momento, tornou-se exclusivamente sua madrinha, casa e mundo.
Nessa longa temporada, a convivência foi iniciada por sua voz cantada-versadadas historinhas infantis, dos personagens/situações, do apreciar o mundo de Monteiro Lobato e tantos outros. De tal modo, ensinou-lhe a codificar as letras (alfabetização), em pouco tempo, faltando 3 meses para completar 4 anos de idade, recebeu o passaporte para passear entre as palavras, “JACA” foi a primeira, de tantas que desengatou a palavrear.
Tanto que,a menina-Joana cedo aprendeu a escalar a leitura, se perder entre as estantes-livros, provar os parágrafos, deleitar-se com páginas excursionar por livros e desbravar cidades/ países/continentes,tabular conversa com grandes e/ou abomináveis personagens (homens/ mulheres/objetos). Também se compreendeu através de respostas às sindicâncias que instaurava em conjunturas reais/imagináveis de uma história e com o direcionamento da aprendizagem enfileirou defensores, criou escudos de proteção para batalhar por ideias, alongar o olhar para o conhecimento.
Esse delírio acelerou na adolescência diante da luta pela saúde e, fez da escrita/ leitura o seu refúgio, solução e caminho para enfrentar as situações-problemas e encontrar uma saída para a vida de adulta. Hoje, a herança desses ensinamentos proporciona-lhe um jeitinho particular de professorara Disciplina História em seu laboratório diário (sala de aula),junto com alunos-parceiros vai (re) criando, (re) inventando, questionando, colorindo/pintando o sete – em viagens históricas através de leituras/livros, internet, escrita/blog’s, comunicação/face e o que lhes vier.
No momento, Joana e permite a colecionar personagens e fatos reais como se ela fosse a fada-madrinha, como o caso de Jonathan – o carioca, o garoto que tem no olhar interrogações, queria conhecer o mundo - imaginação/real e muito parecido com aquela garotinha que perguntava muito e encontrou o caminho de respostas através dos livros. Depois de longos 06 anos, contando a data de abril de 2012, a Orientadora-pedagógica da escola, vem avisar que tem alguém que precisa falar urgentemente e a espera lá embaixo. Ao iniciar a descida dos degraus,vê “um Jovem lindo, com as divisas expostas,a mulherada em pavorosa balburdia ou suspiro pelo galante marinheiro”. Lá de cima, não sabia se era cabo, tenente, qualquer coisa, apenas que seus olhos se deparam com cenas de contos infantis e a fez relembrar quando “a rainha majestosamente no patamar mais alto, desce a escada, o súdito lhe aguarda, oferece-lhe a mão quase no ultimo degrau da escada e, depois ajoelha-se em reverência”.
A encenação real despertou-a quando escutou a frase chiada nos S’s do carioca,“Tia, você está tomando chá de formol, continua a mesma – não envelhece. A mesma imagem que carrego comigo sempre. Não, poderia deixar de passar em São Luís, depois de tanto tempo sem vê-la, dizer que ensinou-me o caminho para viajar através das leituras ....”.
Depois de trocarem um longo e apertado abraço, o jovem continua palavreando sua rotina diária “[...] agora, quando chego em determinado lugar, reconheço/investigo/ questiono/justifico – já estive aqui através de leituras ou acrescento mais informações. Quero reafirmar aquilo que me ensinastes a adquirir através dos livros – conhecimento.
As lágrimas se misturam,Joana tem a sensação de alegria estampada no rosto e escuta uma frase –mágica ser repetida no tempo/espaço “Tia-madrinha, agora no final da frase – Joana, és a minha fada madrinha real”. Por fim, uma lição aprendida e repassada entre palavras-leituras-livros o  sabor de professorar aprendido lá na infância com sua fada- madrinha real, pontuou o caminho com o saber/pesquisa e agora utilizo como ferramenta para lutar do jeito Joana de ser (irreverente e maluquete) a dilatar o OLHAR para a realidade, aprendendo individualmente/coletivamente a buscar caminhos de ações de consciência do SER, TER e estar na/ e para a vida por um MUNDO MELHOR.

Irane Castro
(16.07.12)



"....emoção, a quantas andas?

Pretiando assim: 
Hoje, 16 de julho. Desde cedo estou  a conversar  cá com meus botões  e a conferir 1,2,3,4,56,7,8,9,10....................................milhões, trilhões, zões de vezes, para ter  "calma, paciência e....", pra enfrentar o que vier nesses dias. 
Nada de arrepiar aconteceu-me!!
Hoje foi preciso  driblar certas coisitas que estão a perturbar a rotina já como a greve/prejuízo  do computador, enfrentar o assalto  premeditado do técnico - aplicar um golpe, pois achou  que "Euzinha por ser mulher, uns janeiros nas costas era totalmente  tapada em relação ao manuseio/conhecimento sobre informática". Carambas, cobrou "os olhos da cara" como se diz aqui na terrinha quando é um negócio caro. Calma, sei pouca coisa. Mas, isso dar para o gasto e saber negociar o concerto. Ai ELE diz  que NÃO poderia ser feito a tarde, ia  levar para fazer os reparos em sua loja e entregar dentro de  dois dias.
Fiquei apavorada com a situação.  Nunca, nunquinha, jamé tinha pensado no perigo e nesse momento minha fértil imaginação me diz "as peças vão sumir",  "ele que enrolar", "um defeitinho desse - trocar a placa mãe e dar vida ao meu querido PC rapidinho","não posso ficar sem noticia do  mundo -net por 2 dias" e se quiser assaltar de verdade??. 
A situação ficou tensa, as vezes pareço ser lerda, até aceito em certos momentos  a descrição, claro quando é conveniente. Mas, aqui não aceitei. Pois, concordei que esse técnico viesse até minha humilde residencia,   por que o mesmo foi indicado, veja só.
Mas, seu comportamento foi  de gente que gosta de se aproveitar da situação. Fiquei a pensar no perigo, pois estava sozinha,  imagine a cena da minha cara assustada. Quando escuto-lhe elogiar os objetos da casa, averiguar/pegar meus tesouro - OS LIVROS - que estavam expostos  na sala do computador. 
Comecei a tremer, parecia que meu coração ia sair pela  boca! Desfarçadamente, enviei mensagem para meu irmão, que chegou em segundos (o mesmo estava no condomínio trocando o pneu do carro).
Com sua chegada, a conversa  do ténico tomou outro rumo, começou a apresentar soluções para  resolver o probleminha do PC. Mas, Euzinha, as tantas perguntinhas que estavam em revolução na minha cachola e o pavor que estava sentindo, perguntei o valor digamos da consulta, fiz o pagamento e disse-lhe que não queria mais que arrumasse o computador.
Que susto!! Uma lição aprendida "não confiar em qualquer um".
Continuo com medo, sem PC  e apreensiva de ter perdido meus arquivos.
Estou ligada ao mundo,mesmo tendo que enfrentar o mal humor do funcionario da empresa que gerencia a net aqui em casa- teve que transferir a linha, praticamente no final do expediente. Depois dessa dificil situação, tomei a decisão de ESPERAR  a segunda-feira para visitar  um espaço manutenção de informática. 
Irane

terça-feira, 10 de julho de 2012

Uma tentativa de redescobrir becos, ruas, escadariaa e casarões entre os ventos que sussuram história dos quatrocentos anos da Ilha de São Luis,!

"As melhores viagens que fiz, foi sem sair do lugar." Pois é, essa frase do Viciados em livros é real, nem sair da  minha "terrinha do amor" e assim, entre as maluquices diárias,  plenas férias, leituras e  inaugueração da  minha libertação  (tirei a perna do gesso), Euzinha e Galera do 2 ano B iniciamos uma excursão/ viagem por ruas/becos/praças da nossa Ilha e descobrir [...] à que horizonte belo. De se refletir. Outro dia me disseram Que o amor nasceu aqui. (Ilha Magnética - César Nascimento). Também participei de andanças (como diz a música de mesmo nome de Beth Carvalho) diz " vi tanta areia andei {...}, aqui becos, ruas, escadarias, casarões.
Que essa terra encerra o meu bem querer. Ou que a história da minha bela Ilha do Maranhão viemos a presenciar.
 E jamais termina o meu caminhar. {...}. Cada casario, azulejo e ventos nos susurram a vida que a terrinha guardou.
Nas lendas dos caminhos.  Entre as tantas contadas aqui, estamos a desnudar Upoan-Açu (Ilha -Grande).
Onde andei... Por ruas e ruelas a descifrar os caminhos  da minha cidade;
No passo da estrada só faço andar. Tentando descobrir a vida de alguns por cá.
 Tenho o meu amor a me acompanhar {...} e uma GALERA (2º ANO B)  disposta a passear junto aos desvaneio de uma viajante do tempo/espaço em tempo real.
Desnudar caminhos que marcaram a suntusidade, opulência de uma sociedade que petrificou sua riqueza em sobrados e janelas, passeou por praças engrandecidas por palmeiras reais e o burburinho dos transeuntes de uma época de glamoour. Passear pelos logradouros,  conhecer detalhes, esmiuçar historinhas contadas aqui e ali, dar asas a imaginação sobre  uma cidade -pequena, mas de encenação  glamorosa e marcante nas páginas da história ..
Obrigada Senhor, por essa oportunidade, proteção e confiança dessa turminha que é DEZ...
Irane Castro!!
(10.07.12)

Você é o poema ''Sentimento do Mundo'' (Drummond)

Mudanças preeciso delas urgentemente!!
Criar coragem para mudar a rotina de detalhes que estão cada vez mais me fazendo sofrer. O retorno de antigas  feridas.È complicado diariamente lutar por um pouco de vida.
Você é o poema ''Sentimento do Mundo''
Você é revolucionário. Você é crítico, busca oportunidades de mudança. Inquieto, não tolera injustiças sociais. Guerras, mortes, armas, brigas. Tudo isso te assusta. Mas se entra em um embate ideológico, sai de perto!
SENTIMENTO DO MUNDO
Tenho apenas duas mãos
e o sentimento do mundo,
mas estou cheio escravos,
minhas lembranças escorrem
e o corpo transige
na confluência do amor.
Quando me levantar, o céu
estará morto e saqueado,
eu mesmo estarei morto,
morto meu desejo, morto
o pântano sem acordes.
Os camaradas não disseram
que havia uma guerra
e era necessário
trazer fogo e alimento.
Sinto-me disperso,
anterior a fronteiras,
humildemente vos peço
que me perdoeis.
Quando os corpos passarem,
eu ficarei sozinho
desfiando a recordação
do sineiro, da viúva e do microcopista
que habitavam a barraca
e não foram encontrados
ao amanhecer
esse amanhecer
mais noite que a noite.

Gente cultiva preconceito a cada dia e os animais são irracionais!!!!

Isa Carvalho: me perguntaram se eu gostava de maconha, eu estranhei falei que não e perguntei o porque, ae a pessoa: não é que você curte reggae e tal.
por favor né? chega. então se eu ouvisse rap era traficante, ouvia funck era do morro, curtia forró era play, mpb sem graça, fala sério...não se pode simplesmente curtir o seu som sem ser rotulada por isso?
[...]
Kelly Ribeiro não acho q ninguém nasça preconceituoso. E qnd esse tipo de ideia ñ é explícita ñ há como combatê-la, e continua solta por aí.
Isa Carvalho e o pior é que todos nos de alguma forma somos preconceituosos com algo :S.
Kelly Ribeiro sim Isa. Mas aceitar isso é o primeiro passo para abrir a cabeça e ver com outros olhos o q pré-julgamos.
Isa Carvalho verdade, vamos fazer uma campanha no face: ADMITA SEU PRECONCEITO, PONHA A IGNORÂNCIA DE LADO E PROCURE COMPREENDER MAIS E JULGAR MENOS,! UHUUUUL kkkkkkkkkkk.
 Irane Castro:  Cada um tem pre-ideias formadas (Preconceitos). Na delicadeza se perguntasse "gosta de ler, pensar, analizar, discutir, entende o histórico dos estlos musicais,..." E a resposta do (a) dito (a) cujo (a) fosse "Não". Qualquer um pode imaginar a resposta para tal situação que é "és um idiota, ignorante, não tem conhecimentos, PRECONCEITUOSO, entre tantas coisitas que cabe no contexto. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Isa Carvalho kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk como já dizia uma cerca professora minha, VÁ PRA PUTA QUE PARIU KKKKKK).
Irane Castro Essa certa professora, penso Eu que gritaria isso mesmo, vá PQP. Dentre todas as patologias, se BURRICE é doença procure ajuda urgentemente kkkkkkkkkkkkkk.
Algumas pessoas ainda tem coragem de falar que os animais são irracionais, não sabem pensar. Aprendi esse pequeno detalhe desde a infância na escola. Já que vivenciei uma época que aluno não podia indagar, ficava a discutir com meus botões " meus bichinos de estimação são menos perigosos que os homens"'.
Agora, teoricamente o professor permite ao aluno apresentar sua inquietações. E o  ser humano ainda se classifica como  animal racional, mas  penso que as respostas parecem ser absurdamente deslocadas diante das barbaridades provinientes de proconceitos, de idéias pré-concebidas e do grau de ignorância diária pontuando que é um ser desprovido de discernimento, de racionalidade e de respeito para com o outro.
Ainda mais cruel é pereceber que essa sentença  é presente na sociedade. Pode ser bem perto ou  longe de cada um de nós. Hoje, assistir em um noticiário, o caso dos irmão gêmeos Leandro e Leonardo vítimas da HOMOFOBIA ( estado da Bahia), do preconceito e  da falta de conhecimento.
Desde quando um abraço ou andar abraçado na rua é motivo para o  aceleramento da selvageria humana?? .
Infelizmente, GENTE cultiva a cada dia preconceitos,  a irracionalidade passando a dominar seus atos e perdendo espaço para os animais, pois estes lutam/atacam  apenas para se defender ou alimentar...
Aqui, maais uma clara manifestação de uma amputação de sentimentos, uma cicratriz, um desabafo, pedido de socorro.
Ou as palavras de Cassio Vinicíus (Meu ex, eterno, sempre aluno, a nosso estimada LadCah, diz assim:"
Pare e Pense !
Fica a dica#
Irane Castro Se não gostar, guarde opinião para si e não interfira na vida dos outros. Cada um tem o livre arbitrio além do mais quando a felicidade de alguns está incomodando o outro. Pare reflita "o que me faz feliz, minha vida ou a dos outros??
Cassio Vinicius adorei :D
Num mundo onde UNS poucos hiprócrita, se acham no direiro de rotular OUTROS por acharem que estes são desiguais. Onde  fica a racioanlidade?
Irane Castro (10.07.12)


sexta-feira, 6 de julho de 2012

Hoje e sempre: parabéns a Frida Kahlo

Pretiando assim
''Pinto a mim mesmo porque sou sozinha e porque sou o assunto que conheço melhor.''
"Cores de Almodóvar, cores de Frida Kahlo, cores..." <3

105 anos de Frida - da "Casa Azul" para o mundo!
Cores de Almodóvar, cores de Frida Kahlo, cores..." ♥

105 anos de Frida - da "Casa Azul" para o mundo!

'Para que preciso de pés quando tenho asas para voar?''
Me parece que a coisa mais importante na Gringolândia é ter ambição e se tornar 'somebody', e francamente, não tenho a menor ambição de ser ninguém.''
Foto: ''Pinto a mim mesmo porque sou sozinha e porque sou o assunto que conheço melhor.''

''Para que preciso de pés quando tenho asas para voar?''

''Me parece que a coisa mais importante na Gringolândia é ter ambição e se tornar 'somebody', e francamente, não tenho a menor ambição de ser ninguém.''
Hoje e sempre: parabéns a Frida Kahlo
   Hoje e sempre: parabéns a Frida Kahlo

  Sonique Mota e Flávia Pessoa curtiram isso.
Flávia Pessoa Fantástico!!! Sou fã de carteirinha

Irane Castro

quinta-feira, 5 de julho de 2012

A lua cheia, São Jorge e uma torcedora fiel e anônima do TIMÂO!!

Pretiando assim
Uhhhhhhhhhhhhh é a libertação!
A partir de 2012, a data de 04 de Julho nunca mais será a mesma.  
Sabe porque???
Eu, Tú, Nós e muitos Viu/ouviu a Particula de Deus, a festa de comemoração de Independencia dos EUA, a lua cheia, São Jorge e luta do século pelo troféu da  Libertadores  da América.
Um dia inesquecivel com tantas interrogações , piadas, pragas de urubu e muito mais. Mas, uma noite de brilho e sucesso em que o TIMÃO lutando na humilde, força, garra, fé e apoio  do 12º jogador do time,   uma TORCIDA FIEL que chegou junto na conquista do tão sonhado troféu. Os   gaviões  guerreiros e lutadores jogaram com garra e   aiiiiiiiiiiii calou o Bôca (Time),  a boca de muita gente do contra.
Por isso se diz"[...] Corinthias não é um time quem tem torcida. Somos uma torcida que tem um time. "[...]O time não tem a "estrela", temos uma constelação".
Sabe como aconteceu??
Somos uma nação que sorrir, chora, sofre, torçe, AMA E GRITA numa só voz "SOU LOUCO POR TI CORINTHIAS".
Parabéns Corinthias... Timão do coração....
Irane (05/07.12

terça-feira, 3 de julho de 2012

Desculpe ai, fiz-me de cega-surda-muda para os alimentos diets que estavam me aguardando nessa tarde.

Pretiando assim
Ah, boca....
Imagina pãozinho francês [quentinho], queijo, bolo de macaxeira e uma xicara enorme de café-com-leite, convidando-me ao pecado da gula.
Como diz a música do Leleleco  [o Vovô-Garotão de Avenida Brasil] "assim mata papai ..."
Delicia...
Oh, Sra Nutricionista L....., Desculpe ai, fiz-me de cega-surda-muda para os alimentos diets que estavam me aguardando nessa tarde. Não conseguir resistir aos apelos do lanchinho com um pouquinho de gordura.... 
Ufa , matei a vontade que estava consumindo-me. Prometo,  pelos trezentos anos amém ....Não cometerei essa injúria outra vez. Tenho que ser forte e fiel a santa dieta. Senão vou virar uma porquinha gorda. Depois da promessa feita, não sei se vou cumpri-la kkkkkkkkkkkkk.
Também enfrentei a chuvinha gostosa, lençóis mácios degustando as derradeiras páginas do Grand Finali  de "as esganadas" que proporcionou descobrir   que  BÔCA e a desefreada vontade de comer é o mistério que o JÔ SOARES 
 vai desenrolando para elucidar o estranho e terrível caso das gordas desaparecidas entre praças, culinária portuguesa,  ritos funerários [detalhes profissionais]  e alguns personas da Era Vargas,  um retrato saboroso do Rio de Janeiro no fim dos anos 1930 e começo do Estado Novo — o Rio das vedetes que davam e dos políticos que tomavam, das estrelas do rádio e das corridas de “baratinhas”. E nesse mundo em ebulição chega uma figura portuguesa, saída de um poema do Fernando Pessoa, as cantoras e cantores  do rádio, o teatro de revista entre outras coistas.
Ainda tenho que controlar a  emoção, o TIMÃO (Corinthias)  vai  enfrentar  o Boca  Júnior,  a praga de urubu  de um montão de gente -  não torcedor da fiel.
Que os Putos [garotos -portugues de Portugal] façam o melhor...
Vou por aqui tentando controlar a boca, pra não falar bobagem e não comer besteira.
Irane [.....]

"....é o homem quem se transforma perante preconceito do mundo!"

Pretiando assim
Hoje é aniversário de Franz Kafka.
Parabéns Franz Kafka...
No livro Metamorfose diz, " é o homem quem se transforma numa barata e revela o seu desespero perante o preconceito do mundo...
Foto: Parabéns Franz Kafka...
No livro Metamorfose diz, " é o homem quem se transforma numa barata e revela o seu desespero perante o preconceito do mundo...
 OU  não percas tempo a procurar por obstáculos que talvez não existam!"
Simplesmente assim "um livro deve ser o machado que quebra o mar gelado em nós". E se os títulos que caíram em sua mão ainda não provocaram uma ruptura interna, tente outro Machado. E outros Sabinos, Sthendals, Sartres, Pessoas, Drummonds."
I. C.

 OU não percas tempo a procurar por obstáculos que talvez não existam!"
Simplesmente assim "um livro deve ser o machado que quebra o mar gelado em nós". E se os títulos que caíram em sua mão ainda não provocaram uma ruptura interna, tente outro Machado. E outros Sabinos, Sthendals, Sartres, Pessoas, Drummonds."
I. C.


Eu gosto do impossível,
tenho medo do provável,
dou risada do ridículo e choro porque tenho vontade,
mas nem sempre tenho motivo.
Tenho um sorriso confiante que as vezes não demonstra o tanto de insegurança por trás dele.

Sou inconstante e talvez imprevisível.
Não gosto de rotina.

Eu amo de verdade aqueles pra quem eu digo isso,
e me irrito de forma inexplicável quando não botam fé nas minhas palavras.
Nem sempre coloco em prática aquilo que eu julgo certo.
São poucas as pessoas pra quem eu me explico...

Bob Marley