terça-feira, 22 de agosto de 2017

" ... seja solidariedade por ai!"

Pretiando assim:
Palavra do dia: Solidariedade.
“... não sei a definição.
Na ousadia e teimosia.
No vaivém de nó.
Aprendi o que é.

Necessita  acudir a si.
Com o nunca desiste.
E  força do querer.
Pela imensa teia diária.

Fazer do arame farpado.
A  renovação e reinvenção.
Do coração  de paz.
Que  levanta o fraco.

É tempo de unir.
O  carinho e solidariedade.
Para  busca da superação.
Ou  condição de recomeçar.

Estar choro em risos.
Ser determinante e forte.
Dentro de tantos nós.
Fora dia por vez.

Germe de amizade e amores.
Florida gratidão de tudo.
De mais e pela vida.
Imediatamente em hoje’s!”
Irane Castro.
Beco da Preta
São Luís _ Maranhão
Escrever Sem + Nem _.
Desafio: 21.8.17
                                                                                                                                                             

"...tô porta retrato livro dia em hoje's!"

Pretiando assim:
“... do era uma vez.
Conto que foi  1,2 tantas vezes  sentada no auditório. Cansada fisicamente, mentalmente e chegando às raias do absurdo até o  moralmente. Vergonha da  constante da violência, palavras e gestos. Da falta de compreensão de pessoas que parece lá do ontem, a era selvagem. Cada vez mais, perguntava como, porque e  para que  a Princesa Isabel não apenas deu  continuidade da escravidão do capitalismo. Mesmo sendo República, Democracia o vire e mexe:
_ É  ausência de cidadania.
_ É falta de respeito, solidariedade e outros detalhes.
_ É cotidiano de um (a) trabalhador (a)
- É Horário, ponto e  regras.
 _É imposto de tudo;
 _ É salário mínimo do mínimo  para esticar
_ É surra de desemprego
_ É nada de mudanças do governo nem do espaço.
A cabeça retorna para o aqui.
Um sol belíssimo lá fora.
E a espera da  palestra chata de  tema já repetido. Os colegas ostentação e pose de roupas, moda,  carros, viagens, etc. Já tenho problemas em não intimidades, não mereço esse teatro das trevas  desnecessárias -  me adoece esse povo alienado que diz que tem excelente  condição profissional, pessoal e coletiva.  Que baita mentira dos fundidos  pelo  faz de conta de  Alice’s no país das maravilhas. Como calada sou pior que falando esqueci essa desgrenha, atraso, chatice e ainda nutri a  paciência com  refúgio  do submundo  palavras. E poemANDO o desejo escondido não sabe onde, com a singela frase ‘vá tomar  no C´, o gritei  em versos, o que  não quero morada na cabeça maluquete:r  longos anos  chorava com sorriso, abaixava os olhos tristes, escondia as mão trêmulas, soprava a angústia  eenfeitava a gordices (sobrepeso), a rainha n’outros capítulos da história.
Até que  encourei  a expulsão, desligamento, desvalorização por não deixar de ser o que é e ganhar não  carta de missão e sim de alforria.
No início  magoou muito. No entanto, aos poucos resPIRADA de grata leveza, livre e linda por eliminar literalmente peso.  
Ta quase amanhecendo. Mas, tô tempo sem pressa,  fora da era de pressão. Inda inverso, diverso  e converso no porta retrato  tão  natural po_EU_sia exposição tal gente de boa. Além disso, quem me jogou pedra, findei como material que  reconstruí o  Beco da Preta a essência do meu  querer que   uso cores que me convêm e expresso isso ou aquilo  de estar o nunca desiste. São  caminhares na ousadia o tô nem aí e o tanto faz no estilo bem irreverente que narro  o recado ‘vá se lascar’ para quem não sabe pra que existe.  Dentro  avivo o que acredito, fora  olho em frente  e  sigo cotidiano agora’s  melhor. Ou  livro dia por vez,  escrevinho-me passarinha num infindo uniVERSO de mais vida, pela vida e com vida _Imediatamente em hoje’s!”
Irane Castro
Beco da Preta
São Luís _ Maranhão
Desafio: 21.8.17

domingo, 20 de agosto de 2017

"... porta retrato do amor!"

Pretiando assim:
Palavra do dia: Porta retrato
“.. parece o era uma vez...
Não. Foi tão real final da tarde  do domingo que a visita surpresa vai entrando  e  fala alto ‘vim sozinho’.
Sobe no sofá,  grita  ‘curti o abraço do gigante  de cinco anos’, ‘viu como tô rapaz’, aperta-me daqui e dali.
E emenda  a conversaria que tem dois velhinhos (os pais)   lá fora sentados, esperando o sinal de entrada, com embrulho nas mãos. Desce, sai correndo e os trás para dentro da casa.
Ao entrar ele para, olha pra todos os lados e pergunta ‘cadê  o retrato do dono  dessa casa?
O pai responde ‘ué será  aquele  que não gosta de ser chamado de bebê?
A mãe diz ‘o novinho da  parentada permanece na mesa e no mural, viu?
Conto calma rapaz. Alterei  apenas  a posição  de mais velhos e mais novos.
Sorri. Segura meu rosto (adora falar olhando no olho do outro)  e diz ‘Vovó Iane   pela manhã ganhei medalha no torneio de judô, ai  trouxe a fotografia para a coleção,  coloca num  lugarzinho.
Mas, o porta_retrato do  seu gatinho Kaio   existe para o centro de tudo  - bem na frente como   chefe  não da família, só da senhora.
Pergunto  a do guri?
Responde ‘sim’. Percebeu que me acho dentro do  coração e fora o preferido neto. Ah bem juntos somos a dupla querida: gostar invenções, brincar alegria, brigar carinho, escrever besteirinhas e contar histórias. Ainda  somos o final feliz  de te  amo muiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiito agora’s e pra sempre.Tá bom .” 
Irane Castro
Beco da Preta
São Luís _ Maranhão
Escrever Sem + Nem _.
Desafio: 20.8.17

"... de boa pintura cotidiana em hoje's"

Pretiando assim:
Palavra do dia Pintura
“... do Beco da Preta.
Matutei  essência do querer.
Estilo maluquete e irreverente.
Estar o não desiste.

Feitio ousadia e teimosia.
Dentro da    louCURA_mente.
Avivo o que acredito
Fora  ser a aquarela.

Cores que me convêm.
Expresso isso ou aquilo.
Até passarinho o tudo.
Dita gratidão e alegria.

Que traço  as palavras.
Pincel    tão natural po_EU_sia.
Formas, papel e telas.
Para a pintura cotidiana.

GatinhANDO o agora’s  melhor.
Livro dia por vez.
Num infindo uniVERSO vida.
Imediatamente em hoje’s!”

Irane Castro
Beco da Preta
São Luís _ Maranhão
Escrever Sem + Nem _.
Desafio: 19.8.17
                                                                                                                                                            

sábado, 19 de agosto de 2017

" de rasgadas palavras em agoara's

Pretiando assim:

"... o  fim   de mais um anoitecer que  resplandece pelas janelas dos olhos de mais um dia que vai terminando em inicio além de um horizonte de outros amanhãs.  Ainda, quero limpar o parapeito para admirar o mundo, mesmo que o mundinho da terra brasilis  vai se   turvando devagar com as tantas interrogações  sobre a que ponto o medo atropela lenta e gradualmente a batalha de vida, pela vida e com vida.
Vejo a     lambuzação de pavor em tantos rostos, do de medo, pintados de pavor, desenhados em angústias do tudo e do nada que as janelas dos olhos transbordam sinto   além de horizonte ,

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

"... de calor por aqui!"

Pretiando assim:
“... aqui na ilha de São Luís.
Cercada de água doce e salgada.
Também literalmente rodeada.
De atrevido calor diário.
Noite de forte chuva.
Ou troca de tudo.
Parece que até São Pedro.
Quer buracos, lama e muriçoca.
Pra todo lado em hoje’s!”
Irane Castro
Beco da Preta
São Luís- Maranhão Brasil
                                                                                 


"...de Barcelona o a-pena em hoje's!"

Pretiando assim:
Palavra do dia: Pena
“... do passado ao presente.
Para escrever o acontecer.
Ou recriar o pretexto.
De permanências em mudanças.

Tantos fatos pela história.
Logradouro imaginário ou real.
Mesmo sem final feliz.
Define bom  ou ruim.

Gente, povo e nação.
Não estado de maldade.
Que cabeças bem infectadas.
Perpetra  febre de ódio.

Doença em nome de algo.
Ou moléstia de devoção.
Injetam ataques e atentados.
Como foi em Barcelona.

A_ pena medos e aflições.
Explode choro e pavor.
Escurece por mais perdas.
A qualquer lugar  agora’s.

Que mesmo sem despedida.
Alma vá em paz.
Quem fica pela terra.
Lace resistência e insistência.

Dentro força do querer.
Fora amor e  respeito.
Vaivém do não desiste.
Livro  isso ou aquilo.

Olhar sempre em frente.
N’outras  mutações do tempo.
Para  o dia melhor.
Por universo 10MAIS vida”

Irane Castro
Beco da Preta
São Luís-Maranhão
Escrever Sem  Nem _.
Desafio: 18.08.17 
                                                                                                                                                        




quinta-feira, 17 de agosto de 2017

"...Paulo Silvino segui por longe!"

Pretiando assim:
“... gente  esplêndido e respeitável.
Para  andar não desanime.
Gargalha  dias e anos.
Até  dores e choro

Batalhas ódio em amor
Da guerra a paz.
Humor pela situação real.
Foram princípios e jeitões

Que na minha cabeça
Tão maluquete  e irreverente
Já numa  sentida  intuição.
O bordão   cara crachá.

É ou pode ser.
Palavra  chave e orientação
Passagem   isso ou aquilo.
De enfrentar e vencer.
Na ousadia e teimosia.
Olhar sempre em frente.
N’outras  mutações do tempo.
Para  o dia melhor.
Até a perda da validade.
Do passaporte da vida.
Ou  som do  relógio.
Limite de Paulo Silvino.
Perpetrar risos pela terra.
Ir  para o além.
D’alma  bem leve.
Vá de  boa paz.
E segui  novo caminho.
Alegrar lá por longe.
Festa que te espera.
Imediatamente em  agora’s .

Irane Castro
Beco da Preta
São Luís-Maranhão_Brasil
Desafio: Do Beco da Preta17.08.17
                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                           

"...de cOrações por hoje's!"

Pretiando assim:
Irane Castro                                                                                                                                                          
                                                 Beco da Preta                                                                                                
                                                                                        São Luís- Maranhão  
                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                               

Eu gosto do impossível,
tenho medo do provável,
dou risada do ridículo e choro porque tenho vontade,
mas nem sempre tenho motivo.
Tenho um sorriso confiante que as vezes não demonstra o tanto de insegurança por trás dele.

Sou inconstante e talvez imprevisível.
Não gosto de rotina.

Eu amo de verdade aqueles pra quem eu digo isso,
e me irrito de forma inexplicável quando não botam fé nas minhas palavras.
Nem sempre coloco em prática aquilo que eu julgo certo.
São poucas as pessoas pra quem eu me explico...

Bob Marley